Construído em 30 dias, monoposto que simula carro guiado por Ayrton Senna na temporada de 1993 é baseado em um F3 e tem 260 cavalos de potência. Ouça o ronco do motor no vídeo

Um dos carros "alegóricos" da Unidos da Tijuca não é como os demais que você acompanhou nas últimas noites no Anhembi, em São Paulo, e na Sapucaí, no Rio de Janeiro. Embora entre na avenida na madrugada de terça-feira, ele deve fazer os mais velhos, com seus 30 e poucos anos em diante, se lembrarem das manhãs de domingo.

Com 4,4 metros de comprimento, pouco mais de 500 quilos – com o piloto, Alexandre Doretto, no cockpit – e 260 cavalos de potência, a “McLaren” da Unidos da Tijuca não é um Fórmula 1 de verdade, mas é inspirada na MP4/8 da temporada de 1993, a última de Ayrton Senna na escuderia.

Para Adhemar Cabral , dono da oficina responsável pela construção do monoposto, este foi um dos projetos mais desafiadores que ele já teve em mãos: “O desafio maior foi o tempo. A gente tinha 40 dias, mas fizemos em 30”. Entre as adaptações necessárias, uma vez que o carro usado como base da MP4/8 fictício é um Fórmula 3, Cabral afirma que foi necessário mudar a posição do motor, adaptar alternador e radiador, além de criar duas entradas de ar, logo atrás da cabeça do piloto, para ajudar a refrigerar o motor.

OUÇA O RONCO ( DIMINUA UM POUCO O VOLUME ) DA "MCLAREN":

Apesar de ter colocado “todo mundo” – ele e seus sete funcionários – em cima da “McLaren” para cumprir o prazo, Adhemar revela que já tinha planos de montar um carro em cima de um F3. “O pessoal tinha acabado de trazer a F3 quando a Unidos ligou.” O empresário lembra também da filha, de nove anos, que o questionou se os carros que ele fazia serviam apenas para decorar paredes e tetos ou se andavam de verdade: “Ela estava aqui quando o piloto testou, andando para frente e para trás”.

Após o desfile, a “McLaren” se aposenta da Sapucaí e será usado em outro projeto: “track day”. Cabral pretende disponibilizar todos os carros que tem ou vier a construir para que os apaixonados por velocidade deem algumas voltas – ao custo de um valor – em um circuito fechado. Como poucos têm um currículo como o de Lewis Hamilton para andar na McLaren MP4/4  (clique para assistir) usada por Senna em 88, ano em que ele foi campeão pela primeira vez, esta experiência talvez seja a mais próxima de dirigir um carro com o qual o brasileiro fez história.

Ayrton Senna e a McLaren MP4/8 no GP de Mônaco, em maio de 1993. O brasileiro venceu a prova
Pascal Rondeau/Allsport
Ayrton Senna e a McLaren MP4/8 no GP de Mônaco, em maio de 1993. O brasileiro venceu a prova


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.