Para fundador do site responsável pela pesquisa, baixa oferta de carros coloridos no mercado pode fazer com que os preços subam

Ford Mustang amarelo no topo do Empire State Building, em Nova York, nos Estados Unidos
Getty Images/Spencer Platt
Ford Mustang amarelo no topo do Empire State Building, em Nova York, nos Estados Unidos

Basta uma rápida olhada no trânsito para observar que a maioria dos proprietários de automóveis preferem cores mais sóbrias: preto, prata e branco costumam predominar. Dizem que, assim, o carro desvaloriza menos do que os que têm cores chamativas, como vermelho e até laranja, na hora da revenda.

Segundo uma pesquisa realizada nos Estados Unidos, talvez não seja como você imagina. Especializado em comparar preços de automóveis usados e novos, o site iSeeCars analisou os números de 20 milhões de usados entre 1981 e 2010.

De acordo com os resultados, divulgados no último dia 16, carros amarelos sofreram, em média, uma desvalorização de 26,2% após cinco anos de uso. Já os pretos registraram uma queda de 34,4% no preço.

Para Phong Ly, CEO e cofundador do site iSeeCars, uma das explicações pode ser a "escassez" de carros coloridos no mercado. "Apenas 1,1% de todos os carros são amarelos e laranjas, se turquesa e verde forem incluídos, a porcentagem ainda fica em 5%. A falta de oferta pode elevar os preços."

Ranking de desvalorização por cor (em um período de 5 anos):

Carro amarelo: 26,2% 
Carro laranja: 27,6 
Carro verde: 31,3% 
Carro turquesa: 31,4% 
Carro vermelho: 31,7% 
Carros bege, marrom e dourado: 33,3% 
Carro azul: 33,6% 
Carro branco: 33,7% 
Carro prata: 34% 
Carro cinza: 34,2% 
Carro preto 34,4%

Shelby vende 11 protótipos raros para abrir espaço na garagem. Veja quais são:


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.