Wolfgang Duerheimer explicou por que os carros da Bugatti não competem com outros modelos de alto padrão das marcas do Grupo Volkswagen, dona da montadora francesa

Bugatti Grand Tour 2014, na Europa, contou com 11 unidades do Veyron
Reprodução/Facebook/Bugatti
Bugatti Grand Tour 2014, na Europa, contou com 11 unidades do Veyron

A Bugatti está muito perto de acabar com seu estoque de 450 unidades do Grand Veyron, vendidos a partir de US$ 1,85 milhão (cerca de R$ 4,5 milhões sem impostos) cada. Restam menos de 20 carros, segundo informações da Bloomberg , e o Grupo Volkswagen, dono da marca francesa, planeja um sucessor igualmente exclusivo para 2015.

De acordo com a reportagem, o grupo alemão está mais do que disposto a investir no segmento de alto luxo, mesmo que isso exija cortes nas marcas não tão luxuosas da empresa.

A próxima geração do Veyron será mais leve e, dependendo dos testes, pode ser equipado com um motor 25% mais potente do que o que atualmente gera 1.200 cavalos de potência ao superesportivo.

CONCORRÊNCIA INTERNA

Dono da Porsche, Audi, Bentley e Lamborghini, o Grupo Volkswagen não teme investir tanto no próximo Bugatti e vê-lo concorrendo com os demais carros de alto padrão da companhia.

CEO da Bentley e presidente da Bugatti, Wolfgang Duerheimer exemplificou o quanto um esportivo da montadora francesa se difere de seus colegas alemães, ingleses e italianos. "Os clientes da Bentley e da Bugatti são extraordinariamente diferentes. O cliente da Bentley tem, em média, oito carros. O cliente da Bugatti tem, em média, 84 carros, três jatos particulares e um iate", diz.


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.