Sedã de luxo competiria com BMW, Audi e Mercedes no mercado norte-americano, mas tem sofrido. Fã do carro, ala do Cleveland Cavaliers entrou em contato com a Kia para ser embaixador do carro, parceria que é motivo de piada nos EUA

LeBron James, o novo garoto-propaganda do sedã de luxo K900
Divulgação
LeBron James, o novo garoto-propaganda do sedã de luxo K900

Tirar Morpheus, da trilogia "Matrix", do mundo dos personagens fictícios mortos e gastar milhões de dólares para passar o comercial ( assista aqui ) no intervalo do Super Bowl não foi suficiente para a Kia emplacar seu sedã de luxo K900 nos EUA.

O objetivo da montadora sul-coreana era rivalizar com sedãs de marcas consolidadas, como Mercedes-Benz, BMW e Audi, mas os planos não deram muito certo.

Segundo informações da  Bloomberg , o K900, vendido em solo norte-americano a partir de US$ 59 mil, teve 1.050 unidades vendidas entre abril e agosto. Para margem de comparação, o BMW Série 5 teve 31 unidades vendidas e os sedãs da série E-Class da Mercedes, 38 mil. Os sul-coreanos ainda perderam do Cadillac XTS, Audi A6, Lexus GS e Porsche Panamera.

O cenário não é empolgante, mas a montadora anunciou nesta semana um reforço de peso para alavancar as vendas: LeBron James . E, por incrível que pareça, foi o astro do Cleveland Cavaliers quem procurou a marca para ser o embaixador do carro. "Eu era fã e já dirigia um K900  (uma foto no Instagram prova isso) antes de virarmos parceiros", diz o ala.

Bicampeão da NBA e quatro vezes eleito o MVP da temporada, LeBron terá duas missões nos próximos anos: conquistar um título com a equipe de Cleveland e subir as vendas do K900. Na primeira ele pelo menos terá a ajuda de Kevin Love, Kyrie Irving, Anderson Varejão e Dion Waiters. Há quem veja a iniciativa do jogador com bom humor, como o site Jalopnik , que noticiou a parceria dizendo que LeBron é o único nos EUA que gosta do K900.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.