Mecânico vendeu duas Harley-Davidson Capitão América, eternizada no cinema por Peter Fonda, sendo que havia apenas uma motocicleta

Peter Fonda (à esquerda) com a Harley-Davidson em cena de
Reprodução
Peter Fonda (à esquerda) com a Harley-Davidson em cena de "Sem Destino", filme de 1969

O leilão da Harley-Davidson "Capitão América" , usada pelo ator Peter Fonda em "Sem Destino", foi além das expectativas da casa de leilões Profiles in History e foi arrematada por US$ 1,35 milhão (equivalente a R$ 3,3 milhões), US$ 150 mil a mais do que o previsto, o que faz da motocicleta a mais cara já leiloada na história.

No entanto, há um problema relativamente grande com a motocicleta: sua autenticidade está sendo questionada. Ou seja, a moto de mais de R$ 3 milhões pode ser falsa.

Um dia antes do leilão, ocorrido no último sábado, nos EUA, o jornal Los Angeles Times publicou uma reportagem sobre o assunto. De acordo com a história até então conhecida, quatro motos foram produzidas para o filme, duas versões da Capitão América e outras duas da "Billy Bike" de Dennis Hopper.

Das quatro motos, uma Capitão América ficou destruída após uma cena de "Sem Destino", enquanto as outras três foram roubadas e nunca recuperadas. O ator e mecânico Dan Haggerty reconstruiu a Harley-Davidson danificada, e é a partir deste ponto que as histórias ficam confusas.

Haggerty vendeu duas motos supostamente usadas em "Sem Destino", a primeira para Gordon Granger, em 1996, por US$ 63,5 mil, a segunda para John Parham, em 2002. Ambas com certificado de autenticidade. Ao Los Angeles Times, Haggerty não negou ter assinado os papéis das duas motos, mas disse que errou ao fazer isso em 96. "Foi um erro meu. Não é a moto de verdade, a moto que está comigo aqui (no leilão) é a que Tex Hall (dublê que a dirigiu na cena que resultou na sua destruição) me deu", declarou.

Por razões óbvias, a revelação de Haggerty não foi bem digerida por Granger: "Eles sabem muito bem que não têm a moto de verdade. Eu que tenho a Capitão América remanescente. A que foi leiloada é uma réplica".

Quem também não gostou de saber da história foi Fonda, que afirmou que não assinaria os papéis de autenticidade da segunda moto se soubesse da anterior. "É constrangedor, é enfurecedor", declarou o ator de 74 anos. "Só existem três possibilidades. Ou a minha moto é a verdadeira, ou a outra é a verdadeira, ou nenhuma das duas é", conclui Granger.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.