Em dez anos, marca produziu 450 unidades do superesportivo de luxo. Especula-se que o carro sucessor tenha cerca de 1.500 cavalos de potência e seja ainda mais veloz

Grand Sport Vitesse
Divulgação
Grand Sport Vitesse "La Finale", nome do último Bugatti Veyron

A Bugatti já pode olhar para o futuro. Em fevereiro de 2014, uma matéria da Bloomberg revelou que a montadora de automóveis de luxo não tinha planos de produzir um novo modelo até que todas as 450 unidades do Veyron fossem vendidas. Esse dia chegou.

A montadora anunciou ontem que o último Veyron da história, o de número 450, foi vendido para um cliente do Oriente Médio, sem revelar o nome do comprador.

Chamado de Grand Sport Vitesse La Finale, o último superesportivo de luxo será apresentado durante o Salão de Genebra, que acontecerá entre os dias 5 e 15 de março, na Suíça, ao lado do primeiro modelo fabricado.

Lançado em 2005, o Bugatti Veyron deveria atender, de acordo com a empresa, quatro requisitos: entregar mais de mil cavalos de potência, velocidade máxima acima de 400 km/h, aceleração de 0 a 100 km/h em menos de três segundos e conforto e estilo para "dirigi-lo até uma ópera". Nos últimos dez anos, quatro versões foram produzidas: Veyron 16.4, Veyron 16.4 Grand Sport, Veyron 16.4 Super Sport e Veyron 16.4 Grand Sport Vitesse.

PRÓXIMO SUPERESPORTIVO DE LUXO

Com a venda do último Veyron - eles custam, em média, 2,3 milhões de euros cada (equivalente a R$ 10,4 milhões) -, os olhos se voltam agora para o próximo carro da Bugatti. Por enquanto, sobram especulações.

De acordo com fontes ouvidas por Georg Kacher, jornalista da Automobile Magazine, o Chiron deve ser lançado neste ano e especula-se que tenha um motor com cerca de 1.500 cavalos de potência. O carro, que pode ser híbrido, seria capaz de acelerar de 0 a 100 km/h em menos de 2,5 segundos e atingir até 463,4 km/h, bem mais do que os 435,3 km/h do Hennessey Venom GT.


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.