Estiloso, fácil de fazer e de cuidar, o corte está na moda entre os mais despojados. Veja dicas para fazer e manter o seu

O personal trainer Wagner Magliari, de 30 anos, aderiu ao coque masculino há oito meses
Divulgação
O personal trainer Wagner Magliari, de 30 anos, aderiu ao coque masculino há oito meses

Você já deve ter notado a quantidade de homens usando coque no cabelo ultimamente. Pois prepare-se para ver muitos mais. Chamado de “topknot”, o corte chegou com tudo no Brasil e deixa o visual descontraído e estiloso, sem precisar encher o cabelo de produtos ou acordar meia hora mais cedo só para arrumar.

O visual é uma adaptação do “coque samurai”, o penteado que os lutadores japoneses utilizavam nas guerras para facilitar o uso do capacete da armadura. O coque era tão importante para a cultura masculina japonesa, que os samurais que queriam se aposentar tinham de cortá-lo.

De acordo com a hairstylist e visagista Marcella Dias , do salão MG Hair, em São Paulo, nos dois últimos anos os caras que curtem um estilo mais alternativo adaptaram o corte samurai lá fora, e agora a moda chegou ao País.

“Eles adaptaram o corte undercut – aquele com as laterais raspadas e com volume na parte superior – com o coque”, conta.

“Muitos homens usam o coque justamente por ser uma coisa mais fácil de arrumar. Você está sempre perfeito, não precisa de muito esforço, tanto para uma situação mais formal quanto para algo mais despojado. Ele trouxe muita versatilidade.”

Adepto do coque há 8 meses, o personal trainer Wagner Magliari , de 30 anos, pretende deixar o cabelo crescer até não aguentar mais. O carioca se inspirou no estilo rústico dos atletas de crossfit.

“Eu não pensei no lado prático, mas hoje eu vejo que é bem mais fácil para arrumar e para manter”, observa.

Coque masculino na versão undercut
Reprodução/Pinterest/Gene Albert Elazegui
Coque masculino na versão undercut

O coque tem várias versões. Tem a versão undercut, com as laterais marcadas e raspadas; a versão “meio coque”, quando a parte de trás do cabelo fica solta; e a versão coque inteiro, quando todo o cabelo é longo e preso pelo coque.

Cabelo encaracolado também pode

“Todos os cabelos são ótimos para o coque, a diferença é a mistura de produtos com os quais a gente vai finalizar o penteado. Para o cabelo mais encaracolado, por exemplo, ele vai precisar de um mousse ou creme de pentear para definir os cachos. Já os lisos não precisam de muito, no máximo uma pomada”, ensina a hairstylist.

No entanto, é preciso prestar atenção no seu corte de cabelo, para não ficar muito feminino caso queira usá-lo solto. O ideal é pedir para o cabeleireiro fazer um corte mais desfiado, justamente para dar uma impressão mais rústica.

Para quem tem o rosto com formato redondo, o hairstylist e dono do Club Men Salon, Rodrigo Guimarães , lembra que o coque pode deixar essa característica ainda mais em evidência. Portanto, uma boa pedida é optar por um corte em que os cabelos moldem mais o rosto.

É fácil, mas exige cuidados

Apesar de não tomar muito tempo e paciência para ser feito, o coque exige alguns cuidados para não danificar os fios. Prendê-los enquanto eles estão úmidos, por exemplo, pode ocasionar oleosidade e queda do cabelo, já que o fio demora 48 horas para secar totalmente.

Manter os cabelos presos 24 horas por dia também não é o mais indicado. A tensão do elástico em relação ao couro cabeludo pode puxar os fios da raiz, portanto, não aperte muito o coque e, se possível, solte os cabelos durante a noite.

Para finalizar, Guimarães manda o recado para os marmanjos que gostam do estilo, mas têm medo do que os amigos vão falar: “Antigamente existiam tantos preconceitos em relação ao visual do homem, mas hoje não tem mais isso. Ele pode ter cabelo longo ou curto e não vai deixar de ser homem. O importante é a pessoa se sentir bem.”

Leia mais no Deles

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.