Arquiteto Guilherme Torres investiu em um toque neutro nos ambientes e cores dos anos 70 para os itens decorativos

O cimento queimado marca o estilo adotado pelo arquiteto Guilherme Torres para o duplex de 245 m², no bairro do Itaim, em São Paulo. O revestimento rústico está presente no piso, nas paredes e até na mesa de jantar integrada à sala de estar.

“Meu cliente era um jovem solteiro da construção civil que desejava um apartamento amplo e contemporâneo. Então eu o incentivei a ousar na decoração e, sob uma base neutra, apostar em peças coloridas”, afirma Torres, que uniu a maior parte dos ambientes para aumentar a sensação de amplitude.

Com muito cinza no projeto, Torres valorizou os ambientes por meio de grandes quadros e itens decorativos nas cores típicas dos anos 70.

O jovem cliente pediu ao arquiteto que instalasse uma mesa de sinuca na sala de estar, o que deixou a decoração ainda mais masculina. “Ele fez o pedido, mas eu não queria deixar o ambiente com jeito de bar. Acabei optando por laquear a mesa de azul”, diz. Outro trunfo para deixar o imóvel masculino foi abusar de objetos e aparelhos com toques industriais – a luminária e o frigobar são bons exemplos desta proposta.

Mudanças estruturais também foram realizadas durante a reforma de um ano no apartamento de dois andares. Outro destaque do apartamento foi a estante de carvalho canadense presente na sala de estar. “Quis brincar com a ideia de simetria e investi em nichos de madeira, revestindo todas as paredes do espaço. A ideia permitiu organizar melhor livros e equipamentos eletrônicos. Já a madeira traz conforto e foi um ponto diferente na decoração”, afirma Torres.

    Leia tudo sobre: casa
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.