Lançada oficialmente em São Paulo e no Rio de Janeiro, a cerveja Biritis chegou a ser "contrabandeada" no último sábado, afirma Diogo Mello, um dos três sócios do negócio

Copo do chopp da Biritis leva a frase
Brunno Kono/iG São Paulo
Copo do chopp da Biritis leva a frase "Feliz é o copis que vive cheio de Biritis" e o rosto de Mussum

Não era raro ouvir uma pessoa perguntando para outra se ela havia experimentado a tal da Biritis – com uma certa ênfase na pronúncia – ou alguém dizendo palavras como “cacildis”, “negads” ou “biritis” de novo após tomar o primeiro gole da cerveja cujo copo vinha com a cara do comediante Mussum.

A Biritus, cerveja criada pelo trio Sandro Gomes – filho do ex-Trapalhão –, Diogo Mello e Leonardo Costa em homenagem a Mussum, foi lançada oficialmente ontem à noite, em São Paulo, um dia após o lançamento no Rio de Janeiro. Lançamento em caráter oficial porque algumas garrafas acabaram “contrabandeadas” antes.

Biritis está disponível em 13 pontos de venda
Brunno Kono/iG São Paulo
Biritis está disponível em 13 pontos de venda

“No sábado, um amigo meu publicou uma foto que não acreditei. Ele publicou uma imagem bebendo em um restaurante no interior de São Paulo, com a garrafa e o copo. Pedi para ele me mandar isso aí, mas enfim, acontece. Tem que ver o lado bom, o ‘contrabando’ é sinal de que a cerveja é desejada”, diz Diogo.

Sentado em uma mesa de bar e vestido com uma camiseta com o rosto do pai, Sandro não tem a mesma fama do falecido comediante, mas os pedidos de fotos são recorrentes. Um homem chega a pedir o autógrafo do empresário no rótulo da garrafa que está levando – é de se imaginar que esta será guardada. “Não gostaria de morrer sem fazer uma homenagem ao meu pai”, diz Sandro.

Questionado se o mercado e os próprios fãs viram a criação da nova cerveja como uma forma do trio explorar a imagem de alguém que não está aqui para se pronunciar, por mais que o filho deste alguém esteja envolvido, os dois dizem que não. “Que a gente tenha sabido, não. É capaz de ter, unanimidade não vai existir, mas nós tivemos muito cuidado. É uma homenagem, não uma exploração”, avalia Mello.

Sandro, inclusive, revelou que discutiu a ideia com os dois Trapalhões vivos, Dedé Santana, com quem conversa constantemente, e Renato Aragão, com quem fala “uma vez por mês”: “Conversei com eles e com outras pessoas do ramo. Todos apoiaram demais nossa ideia”. O restante da família também embarcou nessa. “Meus irmãos – são três – estão correndo atrás mais do que eu”, diz.

Digo Mello e Sandro Gomes. Leonardo, o terceiro sócio, estava preso no trânsito no momento da foto
Brunno Kono/iG São Paulo
Digo Mello e Sandro Gomes. Leonardo, o terceiro sócio, estava preso no trânsito no momento da foto

Para quem está interessado em adquirir a Biritis, Diogo diz que o segundo lote, previsto para chegar no início de setembro, deve ser ampliado para outras cidades além das capitais carioca e paulista. Neste início de operação, serão 13 pontos de venda (confira abaixo). Perguntado sobre qual será o próximo lançamento, Sandro cai no riso: “Aguardadis”. E se você quiser beber exatamente como Mussum, o empresário dá a dica: a holandesa Grolsch. “Ele era apaixonado por essa.”

Serviço:

Onde encontrar no Rio de Janeiro:
- Aconchego Carioca
- Beerjack Hideout
- Delirium Café
- Botequim Itahy
- Lapa Café
- Empório Santa Therezinha
- Benditho Bar
- Armazém São Jorge
- Armazém Granel

Onde encontrar em São Paulo:
- Aconchego Carioca
- Empório Sagarana
- Almadas Beer Store
- Empório Alto dos Pinheiros

* Bebidas alcoólicas são proibidas para menores de 18 anos. Se beber, não dirija.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.