Trio do Social Beer faz o meio de campo entre cervejarias brasileiras, estrangeiras e cervejeiros caseiros para criar rótulos limitados e únicos, viabilizados por financiamento coletivo

Carlos Lima, sommerlier de cerveja e sócio do Social Beer
Rogerio Volgarine/Cerveja e Comida
Carlos Lima, sommerlier de cerveja e sócio do Social Beer

Maio será mês da Sexta-Feira. Não do dia, mas da cerveja, resultado de uma improvável parceria entre a Invicta, de Ribeirão Preto (SP), e a Sixpoint, de Nova York, nos EUA, e que chega, no próximo mês, às mãos das 434 pessoas que tornaram possível sua produção. Quem fez o meio de campo entre as duas cervejarias e, posteriormente, com o público, foi o Social Beers , projeto que visa produzir rótulos originais com financiamento coletivo.

A Sexta-Feira, uma Imperial IPA cuja receita é criação conjunta dos mestres-cervejeiros Rodrigo Silveira (Invicta) e Shane Welch (Sixpoint), é a primeira de uma série de cervejas colaborativas que vêm por aí. A segunda, da brasileira Dortmund, de Serra Negra (SP), e da francesa Le Chant-Volant, está pronta para ser produzida, mas antes precisa atingir a meta de 1.200 litros até o próximo dia 16.

"O objetivo [do Social Beer] foi unir os conceitos de crowdfunding e cervejaria artesanal, permitir que cervejas exclusivas sejam desenvolvidas usando o financiamento coletivo. O mercado demanda por novas receitas, mas nem sempre ele atende na mesma velocidade", afirma Carlos Lima, engenheiro e sócio do projeto, ao lado dos amigos Matheus Franco e Luiz Poppi.

Com o site no ar há cerca de dois meses, Lima explica que eles apresentam o projeto para cervejarias brasileiras e estrangeiras que tenham o mesmo perfil – Dortmund e Le Chant-Volan, por exemplo, trabalham muito com cervejas de trigo –, apresentam os dois mestres e a partir daí começam a discutir para definir a receita.

Mas esta não é a regra, e esta é a parte que pode te interessar. "Está em andamento a análise de um cervejeiro caseiro. Estamos adaptando sua receita para ser fabricada em larga escala. Para ser sincero, temos dois cervejeiros com projetos em andamento. Com o segundo já estamos à procura de uma cervejaria interessada em fabricar. O objetivo é lançar os dois projetos", diz.

Matheus Franco, Carlos Lima e Luiz Poppi
Aline Baker
Matheus Franco, Carlos Lima e Luiz Poppi

TRÊS PROJETOS POR VEZ

Por enquanto, o trio deve se ater a três projetos em andamento de cada vez. Além da Hiver Blanche ou Le Pain Français – o nome do rótulo franco-brasileiro ainda não foi definido –, a Kombreja (clique para saber mais) também participa do crowdfunding do site, e, na próxima semana, eles planejam lançar a terceira ideia: uma cerveja exclusiva de uma hamburgueria a ser inaugurada na capital paulista.

COMO COLABORAR O QUE EU GANHO COM ISSO

Colaborar é simples, é basicamente dar dinheiro. Mas o que você ganha com isso? Vai depender do valor investido, que vai de R$ 10 a R$ 800, no caso do projeto da Dortmund. Quem der o mínimo vai receber uma garrafa de 300 ml da Witbier; já quem tirar o escorpião do bolso leva 80 garrafas, participa da brasagem, recebe camisa, copo, camiseta e quadro especial. Claro, se o projeto não bater a meta, o dinheiro é devolvido.

Rodrigo Silveira e Shane Welch, mestres-cervejeiros da Invicta e Sixpoint, respectivamente
Rogerio Volgarine/Cerveja e Comida
Rodrigo Silveira e Shane Welch, mestres-cervejeiros da Invicta e Sixpoint, respectivamente


Veja as cervejas com os ingredientes mais exóticos do mundo:

* Bebidas alcoólicas são proibidas para menores de 18 anos. Se beber, não dirija.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.