Laércio Silva, o "Zulu", conquistou a etapa brasileira do World Class e agora compete com 49 bartenders pelo título de melhor do mundo. Veja fotos da final e onde encontrar os finalistas

O Brasil já tem seu representante para a Copa do Mundo da coquetelaria, o World Class Bartender of the Year. De Ilhéus, na Bahia, Laércio Silva, mais conhecido como "Zulu", venceu ontem, em São Paulo, a etapa brasileira e agora compete na final mundial da competição, que acontece entre julho e agosto no Reino Unido.

Aos 26 anos, Laércio está na capital paulista há cinco anos, onde é bartender há quase quatro e meio, e conta que entrou para o mundo da coquetelaria por acaso. "Eu trabalhava em um resort de Barra Grande, e eu fazia de tudo, era motoboy, jardineiro, assistente, e, em uma noite, precisei servir uma dose para um cliente. O cara me elogiou e perguntou onde me formei, eu nem sabia que precisava ser formado para servir, aí ele sugeriu que eu fosse para São Paulo. Moral da história, eu vim, fiz curso, estudei, comprei livros. Continuo estudando."

Apesar do começo "meio perdido" na profissão, o melhor bartender do Brasil, 6° colocado na edição de 2013, diz que tentou ser autêntico nos últimos anos, dando preferência aos ingredientes brasileiros, e que espera levar a "brasilidade" para a final mundial, ao lado de 49 competidores.

Laércio venceu, mas foi por pouco, uma diferença de 0,2 na pontuação, para ser mais exato. O segundo colocado é Kennedy Nascimento, de apenas 21 anos, o mais jovem entre os cinco finalistas. Com cursos em países como França, Alemanha e Holanda, Kennedy brinca que nasceu na época errada. "Minha maior dificuldade é fazer algo comercial, fazer um drinque de balada. Minha especialidade é século 18, século 19, pré-Lei Seca (dos EUA). É a história que mais gosto."

Drinques feitos com uísque de Jairo, Kennedy, Laércio, Matheus e Patrick
Brunno Kono/iG São Paulo
Drinques feitos com uísque de Jairo, Kennedy, Laércio, Matheus e Patrick

Completando o "pódio", em terceiro, Matheus Cunha. "Meu irmão era gerente de uma locadora de DVDs, e um cliente, que era gerente de restaurante, precisava de um ajudante que não soubesse de nada, foi aí que entrei. Comecei a entender o que era um bar, fiz diversos cursos e trabalhar ao lado de nomes influentes da coquetelaria fez com que eu me interessasse cada vez mais", lembra o paulista de 31 anos, há 14 no ramo.

Matheus, Kennedy e Laércio trabalham em São Paulo, assim como os outros dois finalistas, Jairo Gama e Patrick Jardim. A primeira fase da etapa final teve ainda Adriana Pino, também de São Paulo, Braynner Scherz, do Recife, e Ed Carneiro, de Campinas. Veja onde encontrá-los para experimentar um coquetel feito por eles:

1. Laércio Silva, o "Zulu" 
Onde: La Maison Est Tombeé, em São Paulo 
Endereço: Rua Jerônimo da Veiga, n° 358 (Itaim) 
Drinque favorito: Mojito, Negroni e Gim-Tônica

2. Kennedy Nascimento
Onde: Epice Restaurante, em São Paulo 
Endereço: Rua Haddock Lono, n° 1.002 (Jardins) 
Drinque favorito: nunca recusa um Sazerac

3. Matheus Cunha
Onde: The Sailor Legendary Pub, em São Paulo 
Endereço: Av. Brigadeiro Faria Lima, n° 2.776 (Jardim Europa) 
Drinque favorito: Negroni ou "coquetel bem feito"

Patrick Jardim
Onde: bar., em São Paulo 
Endereço: Rua Joaquim Antunes, n° 248 (Pinheiros) 
Drinque favorito: Gim-Tônica

Jairo Gama
Onde: Jet Lag Pub, em São Paulo 
Endereço: Rua da Consolação, n° 3.032 (Jardim Paulista) 
Drinque favorito: Sidecar

Adriana Pino
Onde: Candela Restaurante, em São Paulo 
Endereço: Rua Bandeira Paulista, n° 676 (Itaim Bibi) 
Drinque favorito: Manhattan

Braynner Scherz
Onde: Loft, no Recife 
Endereço: Praça de Casa Forte, n° 661

Ed Carneiro
Onde: Iff, em Campinas 
Endereço: Av. José de Souza Campos, n° 425

* Bebidas alcoólicas são proibidas para menores de 18 anos. Se beber, não dirija.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.