Rótulo batizado com nome da comunidade carioca é obra de Marcelo Ramos e da Cervejaria Allegra. "Bati de porta em porta para fazer a cerveja, muitos não quiseram", diz

Marcelo Ramos e a cerveja Complexo do Alemão
Divulgação
Marcelo Ramos e a cerveja Complexo do Alemão

O técnico de telecomunicações Marcelo Ramos sempre quis homenagear o Complexo do Alemão, na zona norte do Rio de Janeiro, onde mora há 25 anos. A ideia demorou, mas veio no ano passado. "Falaram que era um absurdo, que não ia dar certo. Quem abraçou mesmo foi a comunidade", conta Ramos ao iG .

Em homenagem à comunidade, Marcelo lançou, no último sábado, em parceria com a Cervejaria Allegra, de Jacarepaguá, a Complexo do Alemão, uma Lager com teor alcoólico de 5% e produzida com dois tipos de malte (Pilsen e Carahell) e três de lúpulo (Magnum, Bobeck e Styruan Golding).

"Eu queria algo que fosse próximo do que as pessoas bebem. Produzir uma Witbier é meu sonho, mas seria muito diferente, então a primeira é uma Lager", explica o técnico e fundador do Bistrô Estação R&R , bar do Complexo voltado para cervejas especiais e que conta com cerca de 280 rótulos disponíveis, entre nacionais e estrangeiros.

"VÁRIOS PEDIDOS" E SEGUNDO RÓTULO

Depois de "bater de porta em porta" e ter seu projeto rejeitado várias vezes, Ramos revela que recebeu "vários pedidos de distribuidoras", mas que está "pensando". "Por enquanto vai ter só aqui." No bistrô, cada garrafa de 600 ml é vendida por 15,99.

Sobre o segundo rótulo, o que se sabe é que vai ser uma Witbier. A única coisa que Marcelo adianta do nome é que será uma brincadeira envolvendo os bairros do Complexo do Alemão e a confusão que as pessoas fazem com eles.

Bar de cervejas especiais de Marcelo foi construído em uma garagem da comunidade carioca
Reprodução/Facebook
Bar de cervejas especiais de Marcelo foi construído em uma garagem da comunidade carioca

* Bebidas alcoólicas são proibidas para menores de 18 anos. Se beber, não dirija.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.