Homens são minoria no quadro de profissionais da Blumpa, plataforma online que trabalha com contratação de serviços de limpeza, mas um deles tem a agenda mais atribulada de todas. Conheça as dicas que ele dá para homens que moram sozinhos

Seu João, de 53 anos, é o diarista mais requisitado da plataforma Blumpa
Brunno Kono/iG São Paulo
Seu João, de 53 anos, é o diarista mais requisitado da plataforma Blumpa

Dos 350 profissionais cadastrados e ativos na Blumpa , plataforma que opera em três estados (Paraná, Rio de Janeiro e São Paulo) com a contratação de serviços de limpeza, 15 são homens. Ante as 335 mulheres que completam o quadro, é um número bem pequeno, mas nele se encontra o diarista mais requisitado pelos cerca de 3 mil clientes da plataforma criada em 2013: o Seu João.

João Fernandes Xavier , ou apenas Seu João, é o que poderíamos chamar de "faz tudo". Aos 53 anos, este carioca radicado na capital paulista há quase 30 anos já trabalhou como mecânico, técnico de ar condicionado, soldador, pedreiro, segurança em condomínio, motorista e até faxineiro em navio cargueiro, o maior desafio, literalmente, da sua vida. "Foi o mais complicado. Entrava às 7h, saía às 17h. É muito grande, é jogar água e esfregar. Era um serviço pesado, mas peguei bastante experiência. Perto de navio, limpar casa é moleza", diz.

Limpar um navio cargueiro no estaleiro Caneco, no bairro do Caju, zona central do Rio, exigia o trabalho de até 30 homens durante um mês. Xavier trabalhou lá durante um ano e meio, e apesar da "experiência", conta que não voltaria a limpar navios nem se ganhasse o dobro do que recebe hoje.

No Caju, um mês rendia uma bela faxina no navio; em São Paulo não tem bairro certo, vai da Vila Madalena ao Horto Florestal, mas, no mesmo período, Seu João faz em torno de 26 faxinas, descansando quase sempre aos domingos, dia de "cervejinha e samba". Juntando os ganhos na plataforma com os de serviços particulares, ele afirma que tira de R$ 2,2 mil a R$ 2,5 mil por mês. "Dá para ganhar mais se fizer duas limpezas por dia", ressalta.

"FALTA GENTE PARA TRABALHAR"

Questionado sobre o que o torna o profissional mais requisitado da plataforma, Xavier responde o que pode ser uma "combinação" de fatores: base fixa de até 15 clientes, escassez de mão de obra no mercado – "tem semana que não damos conta" –, força (para deslocar móveis), dedicação, o "segredo de como usar os produtos" e experiência, adquirida desde que morava no Rio – "minha mãe trabalhava fora o dia inteiro, quando voltava, a casa tinha que estar limpa" – e aperfeiçoada com um curso da Bombril.

Veja dicas do Seu João para os homens que moram sozinho:

"ANO QUE VEM É VIDA NOVA, PREÇO NOVO"

Atualmente, Seu João cobra de R$ 190 a R$ 200 por oito horas de serviço em casos particulares, mas esse valor deve sofrer um reajuste em 2015. "Ano que vem é vida nova e preço novo. Com a experiência que estou adquirindo, vou cobrar mais. Já conheço pessoas que cobram R$ 400 pelo dia. Ele cobra tudo isso porque tem experiência, já tem os clientes certos", explica.

Embora reafirme seu desejo de continuar na limpeza, o diarista espera se especializar na área de manutenção de ar condicionado, "área que dá dinheiro", e montar uma bicicletaria (um dos seus hobbies é andar de bicicleta), sempre procurando manter o domingo com a agenda vazia para o samba, a cerveja e o futebol. "Sou Vasco. Aqui em São Paulo eu sou Corinthians."

    Leia tudo sobre: casa
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.