Marca ironizou consumidores de cervejas artesanais em propaganda veiculada durante o Super Bowl, o que desagradou alguns produtores locais nos EUA

Vídeo da Abita Brewing é uma paródia do comercial da Budweiser, veiculado durante o Super Bowl
Reprodução/YouTube/Abita Brewing
Vídeo da Abita Brewing é uma paródia do comercial da Budweiser, veiculado durante o Super Bowl

O Super Bowl acabou há dias, todos os comerciais, ao custo de cerca de US$ 4,5 milhões por uma inserção de 30 segundos, foram veiculados, mas um deles segue fazendo barulho: o da Budweiser .

A cervejaria da Anheuser-Busch InBev usou 60 segundos (ou US$ 9 milhões) no último domingo para exaltar seu produto e aproveitou para provocar consumidores e produtores de cervejas artesanais, setor em franca expansão nos EUA e no mundo, dizendo que sua cerveja é para pessoas que gostam de beber, não para ser "mimada e dissecada".

"Alvos" do comercial, as cervejarias resolveram responder na mesma moeda: em vídeo e com frases de efeito.

A Abita Brewing, da Louisiana, fez uma paródia da propaganda da Budweiser ( assista aqui ), afirmando que tem orgulho de ser norte-americana (a Anheuser-Busch InBev é brasileira e belga) e que, sim, já produziu uma cerveja de abóbora e pêssego: "E ela era boa. Muito boa".

Quem também respondeu à altura foi a Ninkasi Brewing, do Oregon. Em seu vídeo ( assista aqui ), eles questionam - "se você não bebe uma cerveja pelo gosto, você bebe para quê?" - e terminam com "cervejas artesanais são o futuro", exibindo um mapa dos EUA com os logos dos mais de três mil produtores  atuando no país.

Ninkasi Brewing
Reprodução/YouTube/Ninkasi Brewing
Ninkasi Brewing

De olho na repercussão negativa que o comercial de sua concorrente gerou, a MillerCoors, responsável por rótulos como Blue Moon e Coors, publicou um comunicado  em seu perfil no Twitter, no qual diz que "qualidade não é algo que pertence a um estilo de cerveja ou a uma cervejaria", e a mensagem "nós defendemos a cerveja".

Ainda no Twitter, o próprio perfil da Budweiser  se defendeu da crítica de um usuário: "Não somos contra as artesanais, somos apenas a favor da Bud". Ao Examiner , Brian Perkins, vice-presidente de marketing da marca, defendeu a campanha de três meses cujo pontapé inicial foi o comercial veiculado durante a final da NFL.

"Acho que prevalece a ideia de que pequeno é melhor e grande, ruim. Essa é a generalização que é aceita. Para nós, grande é bom. Isso não é arrogância, é apenas dizer que é ótimo produzir uma cerveja que tantas pessoas gostam. Sim, [a Budweiser] é grande, mas é grande porque produz muito. Não significa que há menos cuidado, menos qualidade ou menos paixão."

Conheça as dez melhores cervejarias de 2014, segundo ranking da RateBeer:

* Bebidas alcoólicas são proibidas para menores de 18 anos. Se beber, não dirija.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.