Um filho não vem com um manual, então é preciso ficar atento aos detalhes para ser exemplar e se tornar presente no desenvolvimento da criança

A criação de um filho não é algo simples. Para que ela seja bem sucedida, é necessário que os pais dediquem tempo, demonstrem afeto e ainda tenham maturidade para lidar com as diversas situações cotidianas. Fora isso, os pais também passam a ser uma referência para o pequeno e todas as atitudes que tiverem vão influenciar na formação dele.

Leia também: Guarda compartilhada: entenda a luta de pais por mais convivência com filhos

Psicóloga dá dicas de como os pais podem ser mais participativos na criação dos filhos
Shutterstock
Psicóloga dá dicas de como os pais podem ser mais participativos na criação dos filhos


Já é mais que batido o discurso de que a responsabilidade da criação de um filho não é papel apenas da mãe. É necessário, sim, que o casal divida tarefas e responsabilidades, além se mostrarem sempre presentes. Porém, isso não significa que os pais devem ser super protetores, porque isso faz com que a criança se torne mandona e autoritária.

Se você tem dúvidas de como ser mais presente e de como estreitar a relação com seu filho, anote as dicas da psicóloga especialista em terapia cognitivo-comportamental e autora do livro “Síndrome do Imperador – Entendendo a mente das crianças mandonas e autoritárias”, Lilian Zolet:

Regras do papai participativo

1. É importante ser parte da rotina do filho, já que isso mostra o quanto ele é importante para você. Um exemplo simples é, sempre que possível, fazer as refeições em família. Também não deixe de conversar sobre aquilo que sentem, contar histórias, ajudar nas lições de casa e sempre dar orientações;

2. Não deixe de colaborar nas decisões que envolvem a criança. Acompanhe o rendimento dela na escola, vá a uma consulta médica e assim por diante;

3. Seja firme e não ceda quando o filho fizer birras. Você precisa ensinar que existe um jeito certo de pedir e fazer as coisas. Sempre tente administrar as emoções e não aja com raiva, ele está apenas te testando;

Leia também: Pré-natal emocional ajuda casais a se prepararem para a chegada de um filho

4. É fundamental escutar aquilo que a criança ou o adolescente tem a dizer, só assim vai entender o que ele sente e saber que tipo de ajuda e conselhos ela precisa;

É preciso ouvir, conversar e também brincar com os pequenos
Shutterstock
É preciso ouvir, conversar e também brincar com os pequenos


5. Tão importante quanto ouvir é conversar com o filho. Ah, e nada de interrogatório, isso só vai afastar vocês. Opte sempre por um diálogo aberto;

6. Cada um tem um talento, observe as habilidades da criança e incentive o seu desenvolvimento;

7. Seja carinhoso e não use palavras preconceituosas ou que diminuam a autoestima do próprio filho;

8. Também é fundamental que você brinque! Curta os momentos de diversão, já que o mais importante é a qualidade do tempo que você dedica à criança;

9. Um filho sempre tem muito o que ensinar a um pai, então não tenha vergonha de aprender com o pequeno;

Leia também: Papais mostram como cuidam dos filhos com ideias simples e até gambiarras

10. Os pais devem ser um exemplo positivo para o filho. Em casos de separação, por exemplo, continue sendo participativo na rotina da criança. Não fale mal da ex-companheira e não deixe que a criança presencie as possível brigas do casal. O vínculo entre pai e filho é algo que nunca deve ser quebrado.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.