Tamanho do texto

Rafael Festa fez um texto emocionante comparando a adoção do filho de 10 anos a uma gestação. Em entrevista ao Deles, ele conta detalhes do processo

O fotógrafo Rafael Festa emocionou internautas ao postar um relato no qual compara de forma bem poética a gestação ao processo de adoção – ele começa dizendo que seu "bebê" nasceu com 1,44m, 40 kg e 10 anos. O pai é casado com a gerente comercial Tatiani Ziegler, ambos sempre tiveram vontade de ter um filho e quando chegou o momento que sentiram preparados, optaram pela adoção tardia.

Leia também: De urso e bailarino, pai faz ensaios fotográficos divertidos com filha; confira

Rafael Festa fez um post emocionante no Facebook falando sobre o processo da adoção tardia
Reprodução/Facebook
Rafael Festa fez um post emocionante no Facebook falando sobre o processo da adoção tardia


A postagem feita no Facebook pessoal do fotógrafo já conta com cerca de 350 mil reações e mais de 89 mil compartilhamentos. “A repercussão está sendo impressionante. Não fazia a menor noção de que seria dessa forma. No início me assustei muito, mas acho que será uma excelente oportunidade para divulgar ainda mais a causa da adoção tardia ”, afirma Festa em entrevista ao Deles.


Processo de adoção facilitado

Para adotar uma criança, é preciso fazer um cadastro e nele especificar se há preferências, por exemplo, se deseja um menino ou uma menina, com ou sem deficiência, a cor da pele e a faixa etária. De modo geral, os futuros pais dão preferência para os bebês, mas o casal não fez questão disso. “Colocamos um perfil bem amplo, então isso facilitou bastante o processo. Na verdade, sempre desejamos adotar uma criança mais velha”, explica o fotógrafo.

Leia também: Licença-paternidade de 180 dias é liberada para um pai de gêmeos

Além disso, o processo de adoção foi relativamente rápido. “O primeiro contato com nosso filho foi no final de junho do ano passado e, agora em fevereiro, já conseguimos a guarda oficial”, lembra o pai.

Com a chegada de Kauan, a vida do casal mudou por completo e agora eles estão aprendendo juntos a como cuidar de um filho, que veio para a família com 10 anos.

 “Ainda somos novos nessa realidade, mas eu acho que um lar, quando tem amor, não precisa de mais nada. É com essa premissa que mantemos nossa vida”, afirma o fotógrafo. “Sem dúvida percebemos que temos mais responsabilidades, mas a rotina diária não foi tão afetada, pois eu tenho um trabalho que me proporciona passar bastante tempo em casa com Kauan e Tatiani tem seus horários bem definidos”, acrescenta.

Adaptando-se à nova realidade

Kauan também está se adaptando a essa nova realidade e ainda chama os pais de "tios", pois foi dessa forma que eles foram apresentados quando começaram a visitar o garoto no abrigo. “Levamos as coisas no tempo dele e sabemos que Kauan já entende que o amamos como um filho e ele nos ama como pais. Prometo que compartilho com todos quando ele soltar o primeiro 'pai'”, fala Festa aos risos.

Leia também: Pai faz post emocionante listando as 10 coisas que aprendeu com a morte do filho

O fotógrafo acrescenta que a família dele é igual a qualquer outra, com alegrias, tristezas, erros e acertos. “Não somos mais especiais que ninguém. Apenas aceitamos o desafio da paternidade e somos muito gratos a Deus por isso. Queremos agradecer de coração ao apoio e carinho de todos que estão fazendo a adoção tardia viralizar e esperamos que esse texto [do Facebook] possa influenciar muitos pais e mães a encontrarem seus filhos”, finaliza.

    Leia tudo sobre: Facebook
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.