Tamanho do texto

Bletchley Park, em Londres, serviu como quartel-general dos Aliados para descriptografar mensagens secretas da Alemanha nazista

Entre tantos relógios com edições limitadas, o novo lançamento da britânica Bremont, tem tudo para causar uma disputa entre fãs de história. O Codebreaker, cuja tiragem será limitada em 240 unidades, terá peças do Bletchley Park, a noroeste de Londres, lugar de importância histórica para a Segunda Guerra Mundial (1939-1945).

Durante a guerra, o Bletchley Park, também conhecido pelo codinome Estação X, serviu de quartel-general dos Aliados para descriptografar as mensagens secretas da Alemanha nazista. Foi lá, ou mais precisamente na cabana 8, que o matemático Alan Turing ajudou a desenvolver a Bombe, máquina cujo objetivo era quebrar os códigos gerados pela Enigma, utilizada pelos alemães.

O desenho do Codebreaker é inspirado nos relógios dos militares dos anos 40. Entre os detalhes exclusivos, a coroa de 43 mm usa madeira de pinheiro da cabana 6 da Estação X, enquanto parte do rotor é feito com o metal de peças originais da Enigma. A pulseira é de couro e na lateral de cada unidade vem o número de série do relógio.

"O Bletchley Park tem um lugar na história mundial e não apenas nos inspirou a criar o relógio 'Codebreaker", mas permitiu que a Bremont levante fundos para preservar a importante herança de um lugar que temos tanto orgulho", diz Giles English, cofundador da marca. A versão Stainless Steel, de coroa prateada, custará US$ 19 mil (equivalente a R$ 43 mil), e a Rose Gold, de coroa na cor cobre, sai por US$ 34 mil (equivalente a R$ 77 mil). 

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.