Tamanho do texto

Toda tendência é para ser seguida? Nem sempre. Veja algumas verdades e mentiras sobre estilo masculino

alt " /
Reprodução/Pinterest1

Regras existem para serem quebradas

Apesar de muitas vezes esse argumento imperar no mundo da moda, no que compete ao universo masculino, algumas regras são simplesmente intransponíveis. Talvez por não termos a mesma diversidade de cores e padrões das roupas e acessórios femininos, na moda clássica masculina (entenda-se por isso ternos e costumes) existe pouco espaço para audácia sem cometer um erro no visual. Portanto, adotemos aqui o discurso de que certas regras existem simplesmente para serem…respeitadas! Como por exemplo, combinar o cinto e o sapato em uma ocasião social e estar de acordo com o traje indicado no convite.

Não há solução para falta de estilo

Apesar de muitas vezes nos depararmos com pessoas cujo visual não é assim aquela coisa, TODAS elas têm solução! Justamente por isso, a ideia é seguir dicas para aprimorar seus pontos positivos e também evoluir em outros para os quais talvez você ainda não tenha atentado. Portanto meu amigo, não se preocupe: se você ainda se considera um cara “azarado” com o mulherio, cuidaremos para que seu “mojo” seja potencializado e melhor aproveitado, por assim dizer.

Também vale lembrar que estética não é tudo. Existem outras maneiras de se tornar uma pessoa mais interessante e atrativa: sempre tem o humor, a inteligência, o caráter, o repertório cultural… O ponto é encontrar quais destes pontos combinam com você e trabalhar em cima deles.

Tendências são para serem seguidas

Aqui vai uma das dicas mais importantes: apesar das tendências serem padrões detectados no universo da moda, nem todas cabem em qualquer pessoa e ocasião. Dito isso, é importante ficar atento ao que combina, tanto com a ocasião quanto com o estilo que você já vem adotando na vida. Sobre as tendências, podemos apontar algumas atuais: meias coloridas, estampas poá (aquelas de bolinhas, sabe?), pulseiras e calças jogger (aquelas com punho na barra).

* Por Bernardo Virtuoso, para Men’s Market

Leia mais no Deles

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.