Tamanho do texto

Pesquisa sugere que, por mais que você seja discreto, rede social indica posição política, uso de drogas e condição sexual

Seus perfis nas redes sociais dizem muito sobre sua personalidade?
Think Stock
Seus perfis nas redes sociais dizem muito sobre sua personalidade?

Ao clicar naquele monte de inocentes botões “curtir” espalhados pelas páginas da web, você pode acabar mostrando muito mais do que predileção por Coca-cola ou Lady Gaga. De acordo com uma nova pesquisa, o histórico de suas curtidas reflete alguns traços de sua personalidade, como orientação sexual, inclinação política e até se você é um nerd solteirão de alto Q.I. com uma queda pelo cigarro e a nicotina.

Publicado nos anais da National Academy of Sciences, o estudo envolveu a análise de mais de 58 mil usuários do Facebook, os quais foram usados para avaliar sugestões sobre suas personalidades e comportamento, inclusive se eram usuários de drogas ou alcoólatras.

Levando em consideração que a rede social de Zuckerberg computa 2.7 bilhões de novas curtidas por dia, como confessou em 2012, isso representa um banco de dados em expansão de dados à disposição de comerciantes, gerentes de marketing ou qualquer interessado na vida pessoal de outros indivíduos. As principais vítimas são aqueles que não estão preocupados com suas configurações de privacidade.

Quando os pesquisadores da Universidade de Cambridge compararam as curtidas com as respostas dadas nos testes de personalidade, padrões surgiram em praticamente todas as direções. O trabalho descobriu que as curtidas estão ligadas à orientação sexual, sexo, idade, etnia, Q.I., religião, política e o consumo de drogas e álcool. Elas também mapeiam o status de seus relacionamentos, a quantidade de amigos e também uma dúzia de outros traços da sua personalidade.

Embora algumas associações sejam óbvias, outras beiram o surreal. Os dados indicam que homens que gostam de assistir Glee provavelmente são gays. Já os que curtem mais luta profissional têm mais chances de serem héteros. Quem prefere jogos que envolvem bebidas alcoólicas é mais extrovertido do que os que leem romances. Pessoas que gostam da diva Jennifer Lopez têm mais amigos no Facebook do que os que curtem o som do Iron Maiden.

Jennifer Golbeck , cientista da computação que desenvolveu um estudo similar, alertou para o problema da privacidade: “Você pode não querer que as pessoas saibam que você é usuário de drogas ou qual a sua orientação sexual”, sugeriu a profissional da Universidade de Maryland. “Mesmo que mantenha suas informações seguras, ainda conseguimos saber muito a seu respeito”.

Já o porta-voz do Facebook, Frederic Wolens , defendeu as curtidas alegando que “a previsão de atributos pessoas com base em informações públicas, como CEPs, profissão ou até gostos musicais, foram exploradas no passado”, disse em nota à imprensa.

Ele chegou a dizer que os usuários da rede social têm a opção de colocar suas preferências além do alcance de pesquisadores, anunciantes ou de praticamente qualquer um. No entanto, o executivo se negou a explicar onde encontrar o recurso nas configurações de privacidade.

Diante desta “bandeira” ou astúcia, um dos autores da pesquisa recomenda que os usuários vejam bem no que estão clicando antes de curtir. David Stillwell lembra que, afinal de contas, “é uma coisa sedutora que está por toda a rede. É fácil clicar”.

E as suas curtidas, te condenam?

    Leia tudo sobre: Facebook
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.