Tamanho do texto

Descubra quais artistas já começaram a carreira fazendo história no rock

A revista Rolling Stone listou os 100 melhores álbuns de estreia de todos os tempos
Divulgação
A revista Rolling Stone listou os 100 melhores álbuns de estreia de todos os tempos

Milhares de bandas e artistas levam anos, décadas ou uma vida inteira de suor para ter a identidade reconhecida na indústria da música. O sucesso quase sempre exige mais do que o pontapé inicial de um álbum de estreia: boa parte dos concorrentes não chegará ao topo das paradas seja no terceiro ou no décimo disco. No entanto, o caminho não é tão tortuoso assim pra todo mundo.

Prova disso são os 100 melhores discos debutantes de todos os tempos selecionados pela revista Rolling Stone. Embora a publicação tenha colocado o “Reasonable Doubt” do Jay-Z à frente de álbuns lendários como “The Doors”, “Please Please Me” dos Beatles e “Outlandos d’Amour” do Police, os cinco primeiros lugares ainda fazem jus a obras-primas que influenciam artistas até hoje. Sorte de principiante?

5 - The Velvet Underground and Nico - The Velvet Underground

Gravadora: MGM/Verve.

Lançamento: 1967.

Boa parte do que conhecemos como rock não existiria sem esta banda nova-iorquina ou seu álbum de estreia, The Velvet Underground and Nico: a sexualidade andrógina do glam, matéria-prima do punk; o riff obscuro e uivante do grunge e do rock barulhento. Um registro da profundidade lírica desinibida como nunca. Nele, o cantor e compositor Lou Reed documentou seu desejo carnal e vício em drogas com uma sabedoria popular que aprendeu quando compunha em troca de trocados para a Pickwick Records. Nico , a vocalista alemã trazida pelo empresário da banda, Andy Warhol , despejava sua feminilidade frígida nas músicas de Reed. Rejeitado como niilista pela turma “paz e amor” em 1967, o álbum da banana -- outra obra de Warhol -- é o mais profético que o rock já viu.

4 - Appetite for Destruction - Guns N' Roses

Gravadora: Geffen.

Lançamento: 1987.

Além de ter sido o disco mais vendido dos anos 80, o Appetite for Destruction virou o jogo para o hard rock desde o Led Zeppelin IV -- e traz bem mais do que os berros agudos de Axl Rose . Versátil, o guitarrista Slash deu à banda a energia do punk com a emoção do blues, mas sem medo de deixar o funk fluir, como em “Welcome to the Jungle”. Quando todos os elementos se juntaram, como no final de “Paradise City”, o Guns deixou todas as outras bandas de metal dos oitenta comendo poeira -- e elas sabiam disso. “Muitas bandas são covardes demais pra demonstrar sentimento ou emoção. A menos que estejam sofrendo”, declarou Rose.

3 - Are You Experienced - Jimi Hendrix Experience

Gravadora: Reprise.

Lanlamento: 1967.

Toda a ideia que temos do guitarrista como artista individual e inovador vem deste registro. Era o que havia de mais moderno no Reino Unido durante o final dos 1966 e início dos 1967: blues colorido e flamejante, com retorno de guitarra orquestral e a visão cósmica pessoal de um imigrante negro norte-americano. A guitarra incendiária de Hendrix era um espetáculo histórico por si só, além da soma de seus trabalhos com Little Richard e os Isley Brothers. A exploração da microfonia do amplificador, associada à levada pictórica de canções como “Manic Depression” e “The Wind Cries Mary”, estabeleceram a promessa transcendente da psicodelia. Hendrix fazia música soul para o universo interior. “É uma coleção de puro sentimento e imaginação”, comentou ele sobre o álbum. “Imaginação é muito importante”.

2 -The Ramones - The Ramones

Gravadora: Sire

Lançamento: 1976

“As primeiras músicas nasceram de nossos próprios sentimentos de alienação, isolamento e frustração -- sentimentos que todos têm entre os 17 e os 75”, dizia o líder dos Ramones, Joey Ramone . Em apenas 29 minutos, os Ramones concluem a obra de rejeição à artificialidade do rock setentista, marco zero da revolução punk rock. As canções eram rápidas e antissociais, como a banda: o que fica claro nas faixas “Beat on the Brat”, “Blitzkrieg Bop” e “Now I Wanna Sniff Some Glue”. O guitarrista Johnny Ramone se recusava a tocar solos -- as cordas mais graves da guitarra se tornaram a língua do punk -- e o disco inteiro custou pouco mais de US$ 6 mil para gravar. Mas em seu apelo “I Wanna Be Your Boyfriend”, Joey provou que até punks precisam de amor.

1 - Licensed to Ill - Beastie Boys

Gravadora: Def Jam

Lançamento: 1986

Um álbum tão poderoso e bem planejado que os Beastie Boys passaram o resto da carreira ganhando dinheiro com ele. Licensed to Ill criou uma nova maneira de consumir rock para a classe média norte-americana -- com uma combinação fulminante de batidas de hip-hop, riffs de metal e rimas ao mesmo tempo espertinhas e exuberantes. Mike D, Ad-Rock e MCA soltam os cachorros nas políticas sexuais de playboys, partidos que defendem uma visão de mundo saudável para criar o que se tornou um dos álbuns de hip-hop mais vendidos de todos os tempos. Hits como “(You Gotta) Fight For Your Right (To Party!)” e “Rhymin' & Stealin” continuam encantando gerações de fãs visionários. Ele é a definição de álbum de estreia que conquista o mundo: o choque do novo, um impacto que se estende por décadas.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.