Tamanho do texto

Pretensão salarial, área de atuação, competências não exemplificadas. Veja o que pode tirar um candidato da entrevista

Um currículo mal elaborado pode fazer você perder uma ótima oportunidade de emprego
Think Stock
Um currículo mal elaborado pode fazer você perder uma ótima oportunidade de emprego

Uma pesquisa encomendada pela consultoria de recrutamento OfficeTeam mapeou quais são os termos mais usados pelos candidatos em currículos e que não chamam atenção dos contratantes, além de demonstrarem falta de criatividade e condições para os cargos. Entre eles estão: altamente qualificado, esforçado, trabalho em equipe, solucionador de problemas, flexível, sociável e proativo.

Se logo na apresentação, essas expressões estão em destaque, é certo que o material do candidato não vai estar entre os selecionados para a entrevista. Entre tantos erros cometidos na preparação do currículo, veja quais são os mais graves, além do que deve e o que não deve ser feito na elaboração:

1 - Descrever as funções do cargo: Entenda, o contratando sabe o que faz um analista financeiro, o importante é citar quais os resultados específicos naquela função o candidato exerceu na empresa.

2 – Não adaptar o currículo para a vaga: Não se pode ter apenas um currículo para todas as seletivas, é necessário adaptar o material de acordo com a vaga preterida. Analise as vagas da empresa que está buscando e coloque as palavras chaves para aumentar a competitividade.

3 – Pretensão salarial: Só coloque se a empresa solicitar. Por limitar o valor, o candidato pode deixar de ser chamado para um processo interessante, ao qual ele não buscava exatamente, mas tem afinidade com o seu perfil.

4 – Objetivo profissional: O candidato precisa mostrar que sabe o que quer. Quem tem objetivo não escreve coisas do tipo: “sou versátil e posso exercer várias funções”, ou “a critério da empresa”. Esse tipo de atitude releva uma pessoa sem objetivo.

5 – Esquecer de revisar o currículo a cada três meses: O tempo passa e novas atividades são realizadas dentro de uma mesma empresa, por isso é preciso revisitar o currículo com frequência para não deixar nenhuma experiência relevante de fora.

6 – Para citar cursos extra-curriculares: O candidato pode ter feito um curso bem qualificado em uma consultoria de estilo, por exemplo, mas se a vaga que ele busca é numa empresa de nutrição, não há porque citar. O necessário é estar atento para a relevância dos cursos de acordo com as vagas.

7 – Currículo on-line: O material on-line costuma ser ligado a um sistema de recrutamento e seleção que cruza as informações entre o perfil da vaga e os currículos, por isso ele precisa ser bem completo para aparecer nesse cruzamento. O candidato precisa inserir as palavras chaves da vaga em seu currículo.

8 – Fácil leitura: Evite adjetivos soltos e longas descrições de atividades em cada empresa, assim como páginas e páginas de trajetória profissional para os que já passaram por muitas corporações. O currículo precisa ser objetivo e também de fácil leitura para o contratante que tem vários para selecionar apenas alguns entrevistados. O empregador pode concluir que faltam habilidades de comunicação, como clareza e objetividade.

9 – O que os erros de português revelam: Revise o material ou peça para alguém mais preparado revisar, erros de gramática e ortografia revelam descompromisso e baixo padrão de qualidade, o que se reflete no trabalho.

10 – Supervalorização das atividades : Sabe aquele cara que acha que tudo de bom que aconteceu na empresa foi graças a ele? Então, este mesmo candidato pode ser imediatamente descartado, pois esse tipo de atitude revela prepotência e autossuficiência, coisa de quem não consegue trabalhar bem em equipe e não valoriza o trabalho dos outros.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.