Tamanho do texto

Inspire-se no caminho trilhado pelo pugilista que se tornou uma lenda

Cassius Clay virou Muhammad Ali após converter-se ao islamismo
We Heart It
Cassius Clay virou Muhammad Ali após converter-se ao islamismo

Cassius Marcellus Clay Jr., ou Muhammad Ali , como preferia ser chamado, ficou conhecido não apenas por ter sido três vezes campeão dos pesos pesados nos anos 70. O boxeador norte-americano enfrentou o governo, lutou contra o racismo e se tornou ícone por sua visão e estilo únicos tanto dentro quanto fora do ringue. Afinal, meninos são acomodados, homens nunca se dão por satisfeitos.

Grande provocador, Ali venceu 37 das suas 56 vitórias na carreira por nocaute e foi eleito "Atleta do Século" pela revista americana Sports Illustrated em 1999. Aos 21 anos o rapaz já mostrava que a excelência seria um hábito em sua vida, colecionando 15 nocautes. “O homem de 50 anos que vê o mundo como quando tinha 20 perdeu 30 anos de sua vida”, garante Muhammad, hoje aos 71 anos de idade.

Veja a seguir o que mais este ídolo do esporte ensinou aos homens com luvas em punho e sua perspicácia aguçada; esta do indivíduo que não quer “ser líder, mas ser livre”.

1 - Quando você consegue espancar qualquer homem do mundo, não conhece a paz

Mesmo depois de ter sido impedido de lutar por três anos e meio por recusar a ida ao Vietnã, Ali retomou seu cinturão de peso-pesado por duas vezes: uma contra George Foreman em 1974 e quando venceu Spinks quatro anos depois. Ele se aposentou enquanto ainda era campeão.

2 - Campeões não são feitos em academias

O ex-pugilista dizia que campeões são feitos de algo que têm profundamente dentro de si, mesmo que seja apenas um desejo ou um sonho. Para Ali, impossível é apenas uma palavra usada por gente fraca e acomodada, que prefere viver no mundo como está: “Impossível não é um fato, é uma opinião. Não é uma declaração, é um desafio”.

3 - Moleques se tornam homens quando se fazem inesquecíveis

Clay se converteu ao Islamismo, mudou de nome para Muhammad Ali-Haj e fez ativismo ao lado de Malcom X. Sua popularidade marcou a história na década de 60, quando Ali se negou a lutar na Guerra do Vietnã. "Nenhum vietcongue me chamou de crioulo, por que eu lutaria contra eles?", declarava.

4 - A força de vontade deve ser mais forte do que a habilidade

Ali foi o único pugilista que até hoje suportou 12 assaltos com o maxilar quebrado, durante sua luta contra Ken Norton, em 1973. Ele sabia que garotos é que precisam de desculpas, enquanto machos de respeito dão um jeito de criar soluções.

5 - Flutue como uma borboleta, mas pique como uma abelha

Muhammad Ali parecia hipnotizar seus adversários com seus movimentos de cabeça e pernas nunca antes vistos. Até a era de Sugar Ray Robinson (que recusou o convite de Ali para ser seu treinador), ninguém jamais havia “dançado” como Ali para se esquivar dos golpes. “O homem que não tem imaginação não tem asas”, afirmava o campeão.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.