Tamanho do texto

De acordo com a imprensa japonesa, lanche utiliza pó de carvão de bambu comestível, corante comum na Ásia

Cachorro-quente preto vendido em Akihabara, em Tóquio
Reprodução
Cachorro-quente preto vendido em Akihabara, em Tóquio

Pão e salsicha pretos. Queimou o cachorro-quente? No Japão, não. A lista de alimentos estranhos recebeu um representante da Ásia, o Black Terra Hot-Dog. Popular no distrito de Akihabara, um dos lugares mais famosos de Tóquio, o lanche se diferencia pelo embutido de 30 centímetros - para esfomeado nenhum colocar defeito -, além, é claro, da sua cor.

Cartaz destaca o cachorro-quente escuro
Reprodução
Cartaz destaca o cachorro-quente escuro

A aparência escura pode intimidar, mas de acordo com a imprensa japonesa, é seguro comer o cachorro-quente da Vegas Premium Hot-Dogs. O estabelecimento de fast-food utiliza pó de carvão de bambu comestível, muito usado como corante na Ásia. Outros dizem que a tinta de lula é responsável pela cor preta do lanche.

A pequena loja em Akihabara já era popular por conta das salsichas com mais de 30 centímetros de comprimento, mas desde que lançou a novidade, em março, mais pessoas têm ido conhecer o lanche, que custa cerca de R$ 13.

Esta não é a primeira vez que o Japão vê um lanche comestível preto. Em setembro de 2012, a rede de fast-food Burger King, em comemoração aos cinco anos de seu lançamento no país nipônico, criou o "Premium Kuro Burger", hambúguer com pão e ketchup escuros.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.