Tamanho do texto

Maior festival do Brasil de cervejas especiais, o Beer Experience desembarcou em São Paulo em sua terceira edição e trouxe mais de 500 rótulos nacionais e estrangeiros. Se você não foi ao evento e nem sabe por onde começar quando o assunto é uma loira artesanal, veja mais de 20 dicas do BEX 2013

Festival de cervejas artesanais trouxe mais de 500 rótulos para São Paulo
Brunno Kono/iG São Paulo
Festival de cervejas artesanais trouxe mais de 500 rótulos para São Paulo

Foi-se o tempo em que a cerveja era produzida a partir de apenas água, malte e lúpulo, conforme ditava a “Reinheitsgebot”, ou lei da pureza alemã, instituída há quase cinco séculos, em 1516, pelo duque Guilherme IV da Baviera. Outros ingredientes como trigo, levedura e açúcar foram integrados à lista mais tarde, mas o duque talvez nunca imaginasse que a bebida alcoólica mais consumida no planeta viesse a ser produzida com chocolate, café, bacon, temperos e, pelas mãos de um grupo de brasileiros, até formigas.

A variedade de cervejarias artesanais e especialistas é tanta que não é incomum ouvir por aí que a cerveja é o “novo vinho”, de forma que ela passa a ser cada vez mais degustada ao invés de tomada aos montes sem parar. No Brasil, números da Nielsen revelam um crescimento de 3,5% no segmento de cervejas premium nos últimos cinco anos, movimentando cerca de R$ 1,4 bilhão ao ano.

Hoje, cursos ensinam a fabricar cerveja em casa e até capacitam um consumidor comum, sem experiência no mundo da gastronomia, a ser um sommelier de loiras, morenas ou ruivas geladas. Para quem gosta de ir a fundo no assunto, o último final de semana em São Paulo foi um copo cheio.

A capital paulista recebeu a terceira e maior edição do Beer Experience, festival de cervejas artesanais. O evento, realizado na Bienal do Ibirapuera, reuniu mais de 500 rótulos nacionais e estrangeiros, e novidades como a Pumpkin Ale, da cervejaria norte-americana Brooklyn, que leva abóbora em sua receita. Mas, se você não foi ao parque e ficou a ver navios, não se preocupe. A reportagem do iG conversou com especialistas e mestres cervejeiros no BEX 2013, e mostra aqui alguns dos destaques. Veja na galeria de fotos abaixo:

1. POST ROAD PUMPKIN ALE
Teor alcoólico: 5,5% | IBU: 24 
Sobre ela: por conta do Halloween nos EUA, conhecido aqui como Dia das Bruxas, a cervejaria norte-americana Brooklyn adicionou abóbora na receita da cerveja, dando a ela um aroma característico e uma coloração alaranjada. Segundo Iron Mendes, da distribuidora Beer Maniacs, a Pumpkin Ale é sazonal, sendo vendida – em garrafas de 355 ml por cerca de R$ 16 – a partir de outubro até os estoques acabarem.

2. BLACK OPS
Teor alcoólico: 10,5% 
Sobre ela: mais cara do BEX 2013 – por R$ 210 a garrafa de 750 ml –, a Black Ops, também da Brooklyn, é maturada em barril de uísque bourbon por quatro meses. Iron diz que o mestre cervejeiro só revelou sua existência depois de pronta, daí vem o nome Black Ops, denominação para “operação secreta”. Rumores indicam ainda que a ideia do cervejeiro era ele mesmo tomar esta Russian Imperial Stout com seus familiares e amigos.

3. HARVIESTOUN OLA DUBH
Teor alcoólico: 8,0% (10,5% a Ola Dubh 1991) | IBU: 40
Sobre ela: “eles têm uma linha bem legal de cervejas maturadas em barris de uísque single malt de 12, 16 e 18 anos”, diz Mendes. Para comprovar a autenticidade, os rótulos são assinados pelo mestre cervejeiro e pelo mestre da destilaria que controla a qualidade dos barris de carvalho. A Ola Dubh 1991, maturada em barris do ano que carrega no nome, é uma edição limitada em 20 mil unidades e custa mais caro (preço pode chegar a quase R$ 60 pela garrafa de 330 ml) – as demais Old Ale da escocesa Harviestoun são mais baratas.

4. DIABÓLICA 6,66 IPA
Teor alcoólico: 6,66% | IBU: 40
Sobre ela: nascida no Paraná e produzida em Santa Catarina, possui um teor alcoólico sugestivo de 6,66% e o slogan “chegou a Diabólica, azar de quem for para o céu”. Se você procura uma mais leve, existe a Diabólica Pale Ale, com graduação de 4,4%. Ambas são vendidas em garrafas de 355 ml com preços entre R$ 11 e R$ 13. Já os rótulos têm arte assinada por Rafael Silveira.

5. WAY BEER AMBURANA LAGER
Teor alcoólico: 8,4%
Sobre ela: natural de Pinhais, próximo de Curitiba, capital do Paraná, a Way Beer produz cinco tipos de cervejas diferentes, entre elas a Amburana Lager, inspirada nas Lagers austríacas e maturada em barril de Amburana (tipo de madeira) cearense. Segundo os produtores, esta cerveja não segue um estilo definido. Se você também gosta das garrafas, guarde esta, que é serigrafada, sem rótulo. O preço da unidade de 310 ml gira em torno de R$ 8.

6. WÄLS PETROLEUM
Teor alcoólico:
12,0% | IBU: 70
Sobre ela: não é petróleo, mas o nome não é um exagero. Desenvolvida pela DUM, do Paraná, e distribuída em parceria com a Wäls, de Minas Gerais, é escura e encorpada, é maturada com cacau e possui aromas de chocolate belga, café e caramelo. De acordo com Iron, vai bem com carnes vermelhas. A garrafa de 375 ml saía por R$ 12 no BEX 2013. A Wäls é a única cervejaria brasileira com uma linha completa de cervejas belgas.

7. MORT SUBIT
Teor alcoólico: 4,5% (Original Kriek) e 4,3% (Xtreme Framboise)
Sobre ela: com um teor alcoólico menor, as duas belgas de estilo Lambic – de cereja e framboesa – são recomendadas para as mulheres e costumam ser harmonizadas com sobremesas. Com fermentação espontânea, as cervejas levam em média até um ano e meio para ficarem prontas. Garrafas de 250 ml podem ser encontradas por preços entre R$ 14 e R$ 18.

8. ESTRELLA DAMM INEDIT
Teor alcoólico:
4,8%
Sobre ela: Witbier desenvolvida por Ferran Adrià, do renomado restaurante El Buli, em parceria com a cervejaria espanhola Damm, a Estrella Damm Inedit é indicada para acompanhar pratos da alta gastronomia. Ela leva alcaçuz, cascas de laranja e coentro em sua receita, e “vai muito bem com frutos do mar”, afirma Iron. Uma garrafa de 750 ml deve custar ao seu bolso pouco mais de R$ 30. Especialistas sugerem que ela seja servida em taças.

9. ESTRELLA DAMM BARCELONA
Teor alcoólico: 4,6%
Sobre ela: patrocinadora do Barcelona de Lionel Messi e Neymar, a Lager espanhola carrega a mesma receita há mais de um século, ou seja, algo de bom ela tem. Uma garrafa de 330 ml pode ser encontrada por cerca de R$ 10.

BEX segue agora para Rio de Janeiro e Brasília
Brunno Kono/iG São Paulo
BEX segue agora para Rio de Janeiro e Brasília

10. ESTRELLA DAMM DAURA
Teor alcoólico:
5,4%
Sobre ela: com baixa concentração de glúten, é a cerveja ideal para quem é celíaco como o tenista sérvio Novak Djokovic, que tem alergia à proteína. “Cerveja é um fator de socialização. Muita gente não pode tomar, pode agora com a Daura”, defende Iron. Os fabricantes garantem que o sabor é o mesmo da Barcelona.

11. JÚPITER APA
Teor alcoólico: 5,4% | IBU: 37
Sobre ela: cervejeiro caseiro, designer, jornalista e dono da Júpiter, David Michelsohn já fabricava a “Tupã”, não distribuída comercialmente, dentro de casa. Ao lado dos dois irmãos, ele decidiu levar sua paixão para o mercado, e inspirado nas leveduras, deu a American Pale Ale de Júpiter, deus do trovão como Tupã, mas em outra cultura. A cerveja dos três é voltada para quem é fã do lúpulo, com aromas que lembram abacaxi, maracujá e grapefruit. David garante: “Quem gosta não tem igual no Brasil”. No BEX, a garrafa de 300 ml era vendida a R$ 8.

12. AC/DC
Teor alcoólico: 5,0%
Sobre ela: nova no Brasil, a cerveja em comemoração aos 40 anos da banda é fabricada de acordo com a lei da pureza alemã e vem uma lata de 568 ml. De acordo com Luiz Brancati, responsável pela distribuição no País, “tem que tomar pensando que está curtindo o AC/DC”. “Quanto mais rock and roll melhor”, completa. Disponível no site AC/DC Brasil Store por R$ 19,90 (a lata).

13. BROWNIE ROCKIN’BEER
Teor alcoólico:
5,0%
Sobre ela: uma das primeiras coisas que Alexandre Cavalo Dias, guitarrista da banda Velhas Virgens, diz é que eles não entraram no ramo apenas para expor o nome do grupo. “Nós é que fazemos”, afirma. E as receitas vêm de Tuca Paiva, baixista: “Sou responsável de uma forma caseira. Desenvolvo em casa, levo para o Rodrigo Silveira, da Cervejaria Invicta (de Ribeirão Preto), que é quem fabrica”. Os dois destacam a Brownie Rockin’Beer, uma Brown Ale que leva chocolate, aveia e baunilha. “É cheirosa, muito boa com bolo de chocolate e doces”, garante Alexandre. A garrafa de 600 ml vai custar por volta de R$ 18.

14. DAMA BIER SINGLE HOP IPA
Teor alcoólico:
6,5% | IBU: 60
Sobre ela: de acordo com Renato Bazzo, dono da Dama Bier, a ideia foi montar um kit de degustação com quatro lúpulos exclusivos, dois americanos, um australiano e um neozelandês. Cada uma das quatro cervejas que vem no kit representa um elemento: água (lúpulo HBC 342), ar (lúpulo Ahtanum), fogo (lúpulo Topaz) e terra (lúpulo Motueka). As quatro garrafas de 355 ml cada saem por R$ 74,90 na Cerveja Store.

15. URBANA GORDELÍCIA
Teor alcoólico:
7,5%
Sobre ela: quem manda na Cervejaria Urbana é André Cancegliero, idealizador do Beer Experience. É ele quem explica o que há na Gordelícia. “É uma Strong Golden Ale com fermento belga, frutas no aroma, bom banana, frutas passas, muito cereal não maltado e açúcar, o que dá potência e corpo. Mesmo assim, não é uma cerveja pesada.” A outra cerveja do grupo é a Sporro, “mais agressiva”, segundo André, e com rótulo assinado por Joe Bennett, que já teve passagens pela Marvel Comics. André espera em breve trazer novidades com ingredientes como lactose e menta na receita. “Como não temos planta [de cervejaria], que seria aí um investimento de R$ 2 milhões, podemos testar mais. Nosso risco é menor. Queremos sempre criar coisas diferentes do usual.”

16. NOSTRADAMUS
Teor alcoólico:
5,5% | IBU: 20
Sobre ela: lançada no dia 12 de dezembro de 2012, esta Stout sobreviveu – assim como todos nós – ao fim do mundo. A Nostradamus é encorpada, com aroma de malte torrado com notas de café e chocolate. Outro destaque da Dortmund, de Serra Negra, no interior de São Paulo, é a The White IPA, que traz a Casa Branca em seu rótulo. “É a primeira IPA de trigo no Brasil. É baseada na receita da Schloss, com adição mais pesada de lúpulo, 50 de IBU”, explica Marcel Longo, dono da cervejaria.

17. JOÃO GORDO HEFE HEIZEN
Teor alcoólico:
5,0%
Sobre ela: produzida pela Dortmund e envasada em garrafas de 600 ml, a cerveja de João Gordo teve a mão do vocalista do Ratos do Porão, diz Igor Vianna, da distribuidora Botecaria. “É uma cerveja que ele gosta, frutada, leve e fácil de beber. O preço de lançamento é R$ 18. Vai sair nos principais pontos de São Paulo.”

18. YOUNG’S DOUBLE CHOCOLATE STOUT
Teor alcoólico:
5,2%
Sobre ela: várias cervejas no mercado têm adição de chocolate, mas neste caso, como o próprio nome diz, o chocolate vem em dobro. Julio Freitas, da Interfood, afirma que ela lembra bastante o chocolate com 70% de cacau, “mais amargo”. A garrafa de 500 ml custa por volta de R$ 14,50.

19. LIEFMAN FRUITESSE
Teor alcoólico:
4,2%
Sobre ela: da Bélgica, tem em sua composição ingredientes como cereja, suco de morango e framboesa. Chega a ficar amadurecendo por 18 meses antes de ser misturada com frutas, o que a caracteriza como Fruit Beer. Julio diz que pode ser servida com gelo. Preço: entre R$ 11,90 e R$ 12,10.

20. ROGUE VOODOO BACON MAPLE ALE
Teor alcoólico:
6,05% | IBU: 30
Sobre ela: a cervejaria norte-americana Rogue Ales e marca de donuts Voodoo Doughnut uniram forças para criar aquela que pode ser a cerveja mais curiosa do BEX 2013. A garrafa rosa de 750 ml carrega dentro uma Brown Ale com bacon e calda de panqueca. Uma dessas custa até R$ 89,90, se você se interessou, saiba que a cervejaria tem um histórico de produzir cervejas com ingredientes inusitados. A Chipotle Ale leva pimentas e a Voodoo Chocolate, Peanut Butter & Banana Ale, manteiga de amendoim.

22. INSANA CHOCOLATE PORTER
Teor alcoólico:
4,9% | IBU: 23
Sobre ela: dono da marca, Pedro Reis conta que o nome Insana vem do fato dele próprio ter sido chamado de insano quando revelou a ideia de criar uma cervejaria em Palmas, no Paraná, na divisa com Santa Catarina. Hoje ele se inspira em outros “insanos” para criar seus rótulos. A Chocolate Porter, uma Brown Porter que lembra chocolate amargo, traz Karl Benz, inventor do automóvel movido a gasolina, no rótulo. O próximo homenageado de Pedro é Cornelius Drebbel, criador do submarino, que irá estampar uma American Pale Ale. A garrafa de 500 ml custa cerca de R$ 12,90.

ONDE COMPRAR:

- Beer Shop (loja online)

- Cerveja Store (loja online)

- Beer Online (loja online)

- Cinco Maltes (loja online)

- Empório Alto de Pinheiros (São Paulo/SP)
Endereço: Rua Vupubassu, 305 - (11) 3032-5514.

- Almada's Beer Store (São Paulo/SP)
Endereço: Rua Presidente Antonio Candido, 305 - (11) 3647-8441.

* Bebidas alcoólicas são proibidas para menores de 18 anos. Se beber, não dirija.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.