Tamanho do texto

Homens relembram episódios e momentos de medo e muita tensão quando eram crianças

Ser criança é uma delícia, não é? Viver com o mínimo de responsabilidade possível, sem ter que se preocupar com contas, obrigações do trabalho e, ainda, poder dormir à tarde depois do almoço, brincar até cansar... mas a infância também pode ser marcada por alguns momentos, digamos, de muito medo.

Como algumas lembranças mais tensas da infância ainda causam arrepios até hoje, o iG Deles conversou com alguns caras que relembraram episódios marcantes de suas vidas. Antes era um terror, mas hoje é engraçado contar. 

Jogo do mal

Videogame sempre foi uma das principais diversões das crianças. Mas para Rodrigo Hassessian, era tensão à vista. "No jogo 'Jungle Hunt' do Atari, a quarta fase tinha que passar por dois índios no final. Eu tinha pavor. Começava uma música macabra e o índio pulando. Ou eu dava o controle correndo para o meu pai jogar ou, se ele não estivesse, eu saia correndo e chorando até achar ele", contou.

No vídeo acima, a temida quarta fase começa com 1 minuto e 59 segundos.

Perigo voador

via GIPHY

Baratas são nojentas. Não precisa ser criança para sentir pavor quando você se depara com um bicho desses em casa, ainda mais se forem aquelas voadoras, enormes. Para Dario Lucchesi, o seu trauma pelo inseto começou lá atrás, ainda na infância.

"Tenho um pavor desse bicho que é fora do normal. Esse medo veio quando eu estava deitado no sofá na casa do meu tio e a porta da sala ficava aberta. Aí lá de fora veio uma barata voadora e pousou na perna dele, que estava no outro sofá. Ele deu um tapa na vagabunda e ela veio no meu pescoço, entrando pela camiseta", disse Dario.

Plantão da Globo

Você está assistindo um filme e, de repente, entra a temida vinheta do plantão da Globo, com aquela música aterrorizante e que fica na cabeça. Até hoje as pessoas se arrepiam quando escutam, mas *Arthur leva isso como um dos maiores medos (e até vergonha) do seu período de infância.

"A primeira vez que ouvi o plantão da Globo estava passando um filme de comédia, acho. E era para anunciar a morte do PC Farias. Isso geralmente aparece quando tem tragédia, e isso me marcou muito. Quando era criança, aparecia o plantão na TV e eu tremia demais. Eu já cheguei a fazer xixi na calça uma vez, tinha uns 11 anos", revelou Arthur.

Palhaços assassinos

Cena do filme
Reprodução
Cena do filme "IT", o palhaço assassino


O palhaço, que em tese é uma figura criada para animar as crianças, desperta, por algum motivo, um verdadeiro terror em muitas delas. Assim como no caso de Pietro*. "Eu tinha cinco anos de idade. Fui em uma festa e tive que sair no meio dela, pois me deparei com aquela figura. Fiz a minha avó me retirar do local e só voltei depois que o palhaço terminou o show".

Calma, são de mentira

Freddy Krueger, um personagem presente nos sonhos de muitas crianças
Reprodução
Freddy Krueger, um personagem presente nos sonhos de muitas crianças


Aproveitando que muitas crianças têm medo de palhaços, os diretores de cinema nunca hesitaram na hora de fazerem filmes com essas figuras demoníacas. O mais famoso é "IT - Uma Obra Prima do Medo", baseado em livro de Stephen King. As produções de terror são medos comuns da infância dos homens.

"Quando eu via filme de terror à noite, não dormia nem ferrando. Ficava a noite toda acordado com medo que o monstro do filme viesse me matar", disse Felipe Neves, que buscava proteção na irmã aos cinco anos de idade. "A única forma de eu dormir era ficar de mãos dadas com a Carla (irmã). Além disso, tínhamos de escolher um assunto pra ficar debatendo até dormir. O preferido era 'familia'", finalizou.

O trauma que virou estilo de vida

Vegetarianismo é um estilo de vida
Getty Images
Vegetarianismo é um estilo de vida


Daniel Coelho viveu momentos de tensão quando foi chamado por alguns amigos para assistir ao filme "Faces da Morte", isso por volta dos 14 anos de idade. "Eu já sabia que tipo de imagens veria, onde mostram cenas reais de pessoas morrendo, vídeo com propósito de entretenimento e nada mais", comentou.

Só que naquele filme específico, um capítulo sobre animais mudou a vida de Daniel. "Mostraram cenas de abates de bois e vacas e muitos animais sendo esfolados vivos. Via aquela área toda pintada de vermelho de sangue, com dezenas de animais sem pele agonizando. Eu comecei a chorar copiosamente, me projetando no lugar daqueles animais. Sentia no olhar e nos berros deles a dor, o desespero e o medo, características que eu julgava ser somente 'humanas'".

O impacto foi tão grande para Daniel que, daquele dia em diante, decidiu não compactuar mais com estas práticas e parou de consumir carne. Hoje ele é vegetariano.

*Os nomes com asterisco são fictícios e foram alterados a pedido dos entrevistados

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.