Tamanho do texto

Muitos homens não conseguem alcançar o ápice da relação sexual por conta de uma condição conhecida como transtorno do orgasmo masculino; saiba mais

Não chegar ao orgasmo causa frustração e pode acarretar em ainda mais transtornos psicológicos
Getty Images
Não chegar ao orgasmo causa frustração e pode acarretar em ainda mais transtornos psicológicos

Não há nada melhor do que celebrar o dia do sexo praticando a atividade preferida da maioria da população. No entanto, ao contrário do que muitos pensam, não são só as mulheres que têm dificuldade de chegar ao orgasmo - os homens também podem sofrer para atingir o ápice da relação sexual.

Chamada de transtorno do orgasmo masculino, essa condição acontece quando o homem tem ereção e mantém a relação sexual normalmente, porém não consegue chegar ao orgasmo - o que é motivo de frustração tanto para ele quanto para a parceira. Veja a seguir quais são as causas mais comuns do transtorno:

Transtornos psicológicos

Não, não é lenda - o fator psicológico influencia, e muito, no seu desempenho sexual. Quando o homem está passando por momentos difíceis na vida pessoal e profissional, ele pode desenvolver certas doenças psicológicas que afetam diretamente a produção de hormônios, como o estresse, a ansiedade e a depressão.

Neste caso, além de conversar com a parceira e explicar a situação, o recomendável é procurar a ajuda de um psicólogo ou psiquiatra para tratar os fatores psicológicos que acabam afetando a vida sexual.

Uso indiscriminado de remédios

Segundo pesquisa realizada pelo instituto de pesquisa GFK em janeiro deste ano, 1 em cada 5 homens com idades entre 22 e 30 anos utiliza medicamentos para ereção e, entre os homens de 41 a 50 anos, este número chega a 40%.

Porém, o uso de remédios como o Viagra sem acompanhamento médico pode causar efeitos colaterais que incluem a própria diminuição do prazer. Além disso, eles podem causar dependência, dores de cabeça, vista embaçada, dores nas costas e pernas.

Bebida alcoólica

É comum ouvir homens falando que tomam alguns drinks ou a tão famosa cervejinha para relaxar e perder a timidez antes de ter relação sexual, principalmente quando é com uma nova parceira com quem não se tem tanta intimidade. Poucos sabem, no entanto, que isso pode ser um tiro no pé, pois o álcool em excesso pode causar desidratação e prejudicar a circulação do sangue, aumentando a dificuldade de se chegar ao orgasmo.

Crescimento da próstata

A hiperplasia benigna é a doença mais comum da próstata e atinge cerca de 80% dos homens com mais de 50 anos, ou seja, aproximadamente 14 milhões de brasileiros. A doença se trata de um crescimento anormal da glândula, que acaba comprimindo a bexiga e obstruindo parcial ou totalmente a uretra, prejudicando o fluxo da urina e também a qualidade da vida sexual.

Para chegar ao diagnóstico da doença, no entanto, é preciso consultar um urulogista e realizar o exame de toque. No Brasil, já existem tratamentos menos invasivos, como o uso do laser verde, para diminuir as glândulas mais afetadas.

Incontinência Urinária

Comum entre os homens que retiraram a próstata, a incontinência urinária afeta diretamente a vida sexual. Isso porque o homem acaba criando um receio de que pode deixar escapar urina na parceira, ou de expor o uso de fraldas.

"A incontinência urinária não é normal em nenhuma idade e a pessoa deve buscar ajuda médica, porque há uma série de tratamentos disponíveis", explica o urologista do Hospital Sírio-Libanês, Fernando Almeida.

Entre os tratamentos recomendáveis, estão a fisioterapia e até a implantação de um esfíncter artificial para ajuda o homem a tratar a incontinência e recuperar a autoestima.

Veja também o que elas odeiam que você faça na cama:

LEIA TAMBÉM
Homens que reclamam da camisinha também têm problemas sem ela, diz estudo
Homens acima do peso são melhores na cama, aponta pesquisa
Disfunção erétil: quais hábitos de vida influenciam o desempenho sexual?

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.