Tamanho do texto

Sem papas na língua, atriz Mônica Martelli falou com o Deles sobre relacionamentos e deu algumas sugestões aos caras

Relacionamento, amor, sexo, paixão... todos esses assuntos estão na pauta diária da atriz Mônica Martelli, tanto na vida pessoal quanto na profissional. Ela é protagonista da peça teatral, do filme e da série "Os homens são de Marte... e é pra lá que eu vou!", sucesso de audiência no Brasil. Até por isso, é considerada "expert" neste universo complicado.

Mônica Martelli durante gravação da série
Divulgação/GNT
Mônica Martelli durante gravação da série "Os homens são de Marte... e é pra lá que eu vou!"


Deles foi até o Rio de Janeiro acompanhar a gravação de um episódio da série do GNT e aproveitou para conversar com Mônica que, sem papas na língua, deu dicas para os caras não errarem com as mulheres e ainda comentou alguns medos masculinos.

A pergunta básica dos caras que pretendem conquistar sua amada é: o que a mulher procura em um homem hoje em dia? "Tudo. Tem que ser sensível, parceiro... o que a mulher mais quer hoje em dia é parceria, o cara que coloca a mão na massa. Porque aquele casamento antigo, do homem provedor, não é mais o caso. Hoje a mulher já é independente, trabalha, cada vez mais divide as questões de casa com o homem", disse a atriz.

Para o homem, casamento é um grande negócio. Basta ser bem sucedido para ser valorizado"

"Para a mulher, o casamento é pesado, tem tripla jornada: trabalha, cuida da casa, do filho e depois tem que estar gata para o marido à noite. Mas para o homem é um grande negócio. Basta ser bem sucedido para ser valorizado", completou Mônica.

Com propriedade para falar sobre o assunto, ela avaliou que os homens se assustam com dois tipos de mulheres: as independentes e as... altas! "Eles têm medo das independentes, mas admiram. Não acredito que nos dias de hoje o homem queira bancar uma mulher. Seria muito pesado. O homem quer uma mulher independente, que ajude ele, que seja parceira também, mas isso ainda assusta porque vivemos em um mundo patriarcal e machista. Os dois lados precisam se equilibrar para se encontrar", disse.

Mônica Martelli durante gravação da série
Divulgação/GNT
Mônica Martelli durante gravação da série "Os homens são de Marte... e é pra lá que eu vou!"


E de mulher alta também? "Tem sim. Você vai numa festa, chama atenção por ser alta, mas o homem chega na mais baixinha. A alta passa uma coisa de auto-suficiência, de mulher segura, de mulher que sabe das coisas. E isso assusta o cara. Então, por conta da fragilidade da pequeneninha, o homem parte para cima dela. A própria altura passa um ar de segurança e isso pode causar uma insegurança. E nós altas somos mega inseguras, a grandona também quer um colinho", comentou Mônica Martelli, que tem 1,80m de altura.

Amor e sexo andam juntos (e separados)

Para Mônica, uma das grandes vantagens do homem em relação à mulher é saber separar o amor do sexo. Segundo a atriz, os caras preferem sim fazer sexo com amor, mas eles conseguem transar sem problemas sem ter envolvimento.

O tesão da mulher passa por um conjunto de coisas. E a mulher espera um feedback depois de uma transa"

"Se passar um cara sarado eu não vou falar: 'Caraca, que cara gato. Quero dar para ele'. Agora o homem, se passa uma gostosa ele fala: 'Que gostosa. Se vier dar mole, vou comer'. A mulher quer saber se o cara é legal, se é bacana, se tem bom papo. Se na segunda frase falar uma besteira ou contar uma piada desinteressante, não vou ter tesão nele. O tesão da mulher passa por um conjunto de coisas. E a mulher espera um feedback depois de uma transa, nem que seja uma mensagem dizendo que adorou a noite, porque existiu ali uma entrega", avisou.

Por fim, Mônica Martelli deu uma dica importante para os homens. "Não desapareçam! Dá uma ligadinha no dia seguinte, a gente agradece. Tipo 'oi, adorei te encontrar'. Só não sumam de vez", sorriu.

*O repórter viajou ao Rio de Janeiro a convite do GNT

Mônica Martelli durante gravação da série
Divulgação/GNT
Mônica Martelli durante gravação da série "Os homens são de Marte... e é pra lá que eu vou!"


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.