Tamanho do texto

Em um "casamento aberto", Eddy não conseguia marcar nenhum encontro e pediu ajuda da esposa; o casal relata o resultado surpreendente

Eddy Azar e Asha Jacob decidiram ter um casamento aberto, no qual marido e mulher concordam que o parceiro pode ter relações sexuais com outras pessoas. Até aí, ok, muitos casais vivem o poliamor hoje em dia.

+ Conheça a história do brasileiro Klinger : "Ela quis uma outra mulher no relacionamento e eu aceitei"

Eddy e a mulher, Asha
Reprodução/Daily Mail
Eddy e a mulher, Asha


+ Amores livres: quando duas pessoas não bastam

Apesar de ter uma conta em um aplicativo de paquera, ele não conseguia marcar nenhum encontro. Então, pediu a sua mulher uma "mãozinha". Após assumir o perfil do marido, ela garantiu dois "dates" em meia-hora.

"Problema não sou é, é como paquero"

Eddy Azar, de 22 anos, e sua esposa, Asha Jacob, que vivem em Cingapura, optaram por abrir o relacionamento no ano passado.

Na esperança de atrair alguma atenção feminina, ele fez uma conta em um aplicativo de paquera. No entanto, ele acabou ficando bem desapontado depois de falhar ao tentar marcar encontros.

Perfil de Eddy
Reprodução/Daily Mail
Perfil de Eddy

"Minha esposa manda bem na arte da paquera - pelo menos quando está usando meu rosto. Numa tarde, enquanto estava desesperado, pensando que a paquera é simplesmente um inferno injusto para os homens, minha esposa pegou meu telefone e garantiu dois encontros para mim. Em meia-hora", contou Eddy, ao "Daily Mail".

"Se ela pode conquistar meninas e convencê-las a sair comigo quando pensa que sou eu e a única coisa que ela está fazendo de diferente é a forma como está escrevendo, o problema não sou é, é como eu paquero", definiu.

Pensando assim, após descobrir o talento da esposa, Eddy passou a registrar o segredo para de seu sucesso por meio de uma técnica de marketing que usa a criatividade, pensamento analítico e social chamado "growth hacking".

Gravando dados do aplicativo, ele mediu a sua taxa de vitórias com base na forma como as mulheres responderam a diversas tentativas de paquera.

Segredos do sucesso

Em duas semanas, 1079 meninas conversaram com Eddy; foram 74 "matches" e 32 "superlike", o que significa 7,05% de sucesso.

"A melhor maneira de obter uma resposta é falar sobre as fotos dela (91,67% de resposta) ou sua biografia (87,5% de taxa de resposta). Ao falar sobre sua biografia, vocês dois ficam um pouco mais propensos a ter uma longa conversa, completa.

Ajuda para outros usuários

Eddy explica que, o que começou com uma brincadeira on-line, acabou se transformando em um experimento social, que ele diz querer levar adiante para ajudar outros usuários do aplicativo. "Ao longo dos próximos 12 meses ou mais, vou ter um "growth hacking" completo do aplicativo a partir de fotos e perfis de diferentes países para homens e mulheres".


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.