Tamanho do texto

Segundo estudo, o fanatismo pelo time e a paixão acontecem em áreas parecidas no cérebro. E com essas dicas, é possível levar bem as duas coisas

Você tem um amor incondicional pela parceira ou pelo time de futebol? Uma pesquisa realizada pelas universidades portuguesas de Coimbra e de Aveiro aponta que o fanatismo por um clube tem grandes semelhanças no cérebro com laços afetivos que as pessoas criam, inclusive os amorosos.

Segundo pesquisadores, há semelhanças entre o sentimentos amorosos e o fanatismo
shutterstock
Segundo pesquisadores, há semelhanças entre o sentimentos amorosos e o fanatismo


Leia também: Homem se casa com duas mulheres: "O diferente do padrão é complicado"

Os pesquisadores analisaram torcedores em momentos de vitória e derrota dos times de coração e identificaram que as partes do cérebro que estão ligadas ao prazer e ao desejo também têm ligação com a questão do fanatismo . Houve muita similaridade entre o mapa cerebral de uma pessoa apaixonada e o de torcedores que assistiam ao time em campo.

Para o neurologista do Hospital das Clínicas de São Paulo Fábio Porto é difícil saber se as regiões do cérebro atingidas são exatamente as mesmas, mas as duas coisas – amor e futebol – provavelmente são processadas em regiões ligadas ao emocional e pelo sistema de recompensa do cérebro .

“As duas atividades ou sentimentos são prazerosos, envolvem a regulação da emoção e do controle de impulso. Ambas são altamente subjetivas e dependente de características individuais. Coisas tão complexas como essas provavelmente envolvem outras áreas do cérebro e são difíceis de serem delimitadas”, afirma o especialista.

Semelhanças e diferenças

Essas semelhanças no cérebro, de acordo com o psicólogo e diretor do Centro de Atenção à Saúde Mental e Equilíbrio (CASME), Yuri Busin, podem ter relação com algumas similaridades que existem entre a pessoa fanática e a apaixonada.

Os sentimentos podem até ser parecidos, mas existem diferenças primordiais entre o amor e o fanatismo
shutterstock
Os sentimentos podem até ser parecidos, mas existem diferenças primordiais entre o amor e o fanatismo


Leia também: Como trincar o abdômen? Personal de David Beckham ensina

“O fanatismo é uma devoção extrema a algo ou alguém, sem questionamento, sem críticas e geralmente com uma grande intolerância a ideias diferentes. Já o amor é uma devoção ao outro, mas não de forma extrema”, explica o psicólogo.

Podem até ser algo parecido, mas as diferenças são primordiais. “Para o fanático é inaceitável uma falha, por isso, a derrota do time do coração causa tanta frustração. Por outro lado, o amor é uma construção e você já sabe que enfrentará altos e baixos, pois para superar os problemas depende dos dois integrantes”, fala Yuri.

Como lidar com isso?

Ter uma louca paixão pelo time de futebol é algo até que comum, mas quem se enquadra nesse perfil deve saber que isso costuma causar conflitos no relacionamento. O psicólogo dá dicas para conseguir conciliar o amor pela parceira e pelo time de futebol.

Leia também: Escolha músicas para curtir a sofrência e descubra como isso pode até ajudar

“Converse bastante com a esposa ou namorada, mostre a importância que o time tem para você, mas aprenda a ceder em alguns momentos. Combine como serão realizadas as atividades e não a deixe sempre de lado. Será algo ótimo para ambos, pois haverá respeito e não fanatismo”, aconselha Yuri.

    Leia tudo sobre: futebol amor
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.