Tamanho do texto

Manter relações sexuais com frequência melhora a circulação e evita o acúmulo de substâncias químicas nocivas ao coração dos homens

Um novo estudo elaborado pelo Centro Médico de Defesa Nacional de Taiwan descobriu que fazer relações sexuais com frequência ajuda a proteger o coração e diminui o risco de doenças cardiovasculares. Porém, isso vale apenas para o os homens.

Leia também: Entenda como jogar video game pode ajudar na ejaculação precoce

Estudo aponta que fazer sexo com frequência diminui os riscos de doenças cardiovasculares, mas apenas se você for homem
shutterstock
Estudo aponta que fazer sexo com frequência diminui os riscos de doenças cardiovasculares, mas apenas se você for homem

O sexo é bom por reduzir os níveis de homocisteína, um composto químico considerado nocivo, no sangue dos homens. De acordo com o estudo , ter relações várias vezes por semana faz com que a circulação melhore e, consequentemente, torne os vasos sanguíneos mais saudáveis. Dessa forma, evita-se o acúmulo do composto químico.

Os pesquisadores explicam que o mesmo não acontece com as mulheres porque a excitação sexual delas não depende tanto do fluxo sanguíneo.

Leia também: Pesquisadores descobrem como acabar com a ejaculação precoce em 5 minutos

Detalhes 

Para chegar a esses resultados, os pesquisadores analisaram amostras de sangue de mais de 2 mil homens e mulheres com idades entre 20 e 59 anos. A partir disso, os níveis de homocisteína foram medidos e comparados com a frequência de relações sexuais que as pessoas têm.

Eles perceberam, então, que os homens que afirmaram ter relações sexuais pelo menos duas vezes por semana apresentavam níveis mais baixos de homocisteína. Aqueles que mantém relações sexuais menos de uma vez por mais apresentaram níveis mais altos e as mulheres não apontaram uma variação significativa.

Diante disso, os pesquisadores ressaltaram a importância de alertar pacientes do sexo masculino que apresentam risco de desenvolver doenças cardiovasculares para que mantenham relações sexuais com mais frequência. “O aumento da frequência sexual pode ser um efeito positivo na saúde e na qualidade de vida, especialmente dos homens, por isso os médicos devem apoiar a atividade sexual dos pacientes”, afirmaram os pesquisadores ao site “Telegraph”.

Leia também: Especialistas dizem qual é o segredo para manter o sexo bom com o avançar da idade

Homocisteína

O composto químico mencionado no estudo aparece de forma natural no organismo. No entanto, quando se concentra em quantidade excessiva, prejudica os vasos sanguíneos e aumenta o risco da formação de coágulos. O acúmulo do composto também pode ser resultado de uma alimentação não balanceada. Por isso, além de garantir relações sexuais com frequência, é importante manter uma rotina de alimentação saudável.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.