Tamanho do texto

Pesquisa realizada pela Sexlog indica que as pessoas estão bem saidinhas nas confraternizações e revela em que lugares elas transam escondido

Em tese, a festa da firma tem o objetivo de promover uma confraternização de final de ano entre os funcionários. Existem inúmeros protocolos para aproveitar o momento sem se exceder e comprometer o emprego, mas, ao que tudo indica, o que reina nesse evento é a “pegação”, pois 89% das pessoas consideram essa uma ótima oportunidade de transar com alguém que paquerou no serviço o ano inteiro.

Leia também: Quanto ganha? Sente prazer? Garoto de programa responde dúvidas de internautas

Cerca de 34% dos entrevistados confessam que já transaram na festa de final de ano da firma e maioria faria de novo
shutterstock
Cerca de 34% dos entrevistados confessam que já transaram na festa de final de ano da firma e maioria faria de novo


A pesquisa realizada pelo site de relacionamento adulto “Sexlog” indica que os brasileiros estão saidinhos e tendo comportamentos bem ousados nas confraternizações da empresa, tanto que a festa da firma é um dos eventos mais aguardados, seja para beber todas e passar aquela vergonha básica ou para conseguir chegar naquela gata (ou gato) que a pessoa nunca teve coragem.

Eles fizeram e repetiriam

Um terço dos entrevistados revelou que já fez sexo em alguma dessas festinhas e, por sorte, só 8% foram pegos no flagra. Pelo jeito, mesmo os que foram pegos gostaram muito da experiência, visto que 99% não se arrependeram e fariam sexo na ocasião de novo. Pouco mais da metade (52%) nunca teve relações nessas confraternizações, 14% ficaram apenas nos “amassos”, mas 64% confessou que só não deixaram as coisas esquentarem por falta de oportunidade.

Leia também: Mulheres revelam os grandes segredos que escondem dos parceiros

Você pode achar que depois desse sexo casual entre funcionários as coisas mudaram no âmbito profissional, porém 86% das pessoas garantem que nada mudou na relação profissional. Bom, na verdade mudou, sim: 82% dos entrevistados contaram que após o sexo na festa, a relação com o colega de trabalho ficou mais íntima. Em 66% dos casos, o sexo aconteceu entre pessoas de departamentos diferentes. Somente 1% pediu demissão por ter transado na festa.

Os mais ousados

A pesquisa indica que coordenadores, supervisores e gerentes (22%) são os que mais gostam de uma “azaração” nas festas da empresa, depois estão os técnicos (20%) e em seguida os especialistas (16%). Já os diretores e presidentes representam apenas 10% dos pegadores e apenas 5% dos estagiários se aventuram nessas confraternizações.

Entre as classes profissionais, o pessoal que trabalha na parte administrativa são os que mais ficam soltos (14,1%), seguido da galera de comercial (12,3%). Já os mais comportadinhos são os trabalhadores das áreas de filosofia, história e veterinária, representando míseros 0,1% cada.

Leia também: Ciúmes? Que nada! Homem fala como é ser namorado de uma atriz pornô

Local preferido

Está curioso para saber onde acontece essa rapidinha na festa da firma? O local mais disputado é o estacionamento da empresa (39,4%), depois vem o banheiro (28,6%) e 16,6% foram bem abusados e transaram na própria sala de trabalho. Os outros lugares mais citados foram: escada (13,8%), sala de reunião (10,3%) e copa (4,5%).

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.