Tamanho do texto

Muitas vezes, a mulher deixa de dizer "não" de cara por medo de uma reação agressiva e opta por dar sinais mais discretos de que está desconfortável

A menos que você tenha vivido em uma caverna durante os últimos meses, provavelmente percebeu que  vítimas de abuso estão cada vez mais determinadas a vir a público com suas denúncias, mesmo quando elas envolvem pessoas famosas. Além dos casos de personalidades acusadas de assédio e estupro  – como Harvey Weinstein, Kevin Spacey, Ed Westwick e Nick Carter –, há também relatos de situações que aqueceram a discussão sobre o que é consenso. Muita gente entende que “não" significa "não”, mas e quando a pessoa não se manifesta verbalmente?  

Com a onda de pessoas vindo a publico para comentar situações de assédio pelas quais passaram, a discussão sobre consenso e sobre por que muitas mulheres cedem a situações com as quais estão desconfortáveis veio à tona
Shutterstock
Com a onda de pessoas vindo a publico para comentar situações de assédio pelas quais passaram, a discussão sobre consenso e sobre por que muitas mulheres cedem a situações com as quais estão desconfortáveis veio à tona

Com a onda de acusações de assédio , uma mulher identificada como Grace veio a público pelo site “Babe” no início de janeiro para falar sobre um encontro que teve com Aziz Ansari, protagonista do seriado “Master of None”. Segundo a moça, os dois jantaram juntos e foram para o apartamento do rapaz, onde começaram a se beijar. Grace, porém, diz ter se sentido desconfortável com a rapidez das investidas e sugerido que eles fossem “mais devagar”, pedido que, segundo ela, foi ignorado. Após o relato, muita gente criticou a moça dizendo que “os homens não têm bola de cristal”. Spoiler: há, sim, outras formas de negar investidas – e você não precisa ler mentes para entendê-las.

Por que elas não dizem “não” na lata?

Enquanto homens são, desde sempre, incentivados a se conectar com a própria sexualidade, muitas mulheres crescem sob a ideia de que devem ser contidas e agradar o parceiro custe o que custar para mantê-lo por perto. Por exemplo: de acordo com estudos , o medo de o homem querer terminar a relação ou de ele ficar com os sentimentos feridos são dois dos motivos que mais levam mulheres a fingir orgasmos durante o sexo (coisa que já aconteceu com 76% delas ao menos uma vez).

A técnica de “amenizar o não” ou fingir satisfação quando ela, na verdade, não existe, também pode vir do medo de coisas piores. Não são raros os casos de mulheres que se negam a ficar com pessoas em festas ou respondem a cantadas na rua e acabam por sofrer agressões , então não é exatamente inesperado que muitas tenham receio de dizer “não” de cara e acabem cedendo ao assédio. Mesmo em situações que parecem relativamente seguras, o fato de a outra pessoa não recuar com pistas simples de que a mulher está desconfortável faz com que o medo aumente ainda mais.

O corpo também diz "não"

Com o carnaval virando a esquina, muita gente vai a festas e bloquinhos com uma única intenção: beijar na boca. Porém, a muvuca, a música alta e a grande quantidade de álcool ingerida não justificam “avançar o sinal” na hora de interagir com mulheres. O mesmo vale para aquela pessoa que topou ir para casa com você - porque, pasme: ela pode desistir do sexo mesmo que já tenha manifestado interesse anteriormente - e para parceiras e parceiros fixos. Mesmo que você não ouça o “não” da pessoa (ou que ela não o diga), aí vão algumas dicas de como a postura dela pode indicar que sua atitude está beirando o assédio e é melhor deixá-la em paz:

- Ela se afasta de você

Amigo, se a moça está se afastando conforme você se aproxima, é sinal de que ela não quer sua companhia, mas não quer ser rude. Dê espaço para ela e parta para a próxima (afinal, festas costumam ter gente de sobra).

- Ela TE afasta com as mãos

Pode ser que ela não esteja literalmente te empurrando com força, mas, se você chegar perto de uma mulher e ela “frear” sua investida com as mãos, saiba que você não é bem-vindo. Agora, se ela realmente te empurrar, o recado está dado e insistir se torna uma forma de assédio. Próxima!

- Ela fica o tempo todo olhando em volta procurando os amigos

Certo, pode ser que ela só não queira se perder da galera, mas saiba que não há problema algum em perguntar se ela está ok com sua presença ou se quer voltar para a companhia dos amigos em vez de partir para cima sem saber se ela está desconfortável.

Leia também: O que é assédio? Saiba o que não fazer com as mulheres durante o carnaval

- Ela parece séria, irritada ou preocupada

Não é preciso ler mentes ou ser um perito em ler a postura de alguém para perceber quando uma pessoa está irritada ou preocupada. Poucas palavras, olhares ansiosos e braços cruzados o tempo todo, por exemplo, são sinais de que é melhor deixá-la sozinha.

- Ela está bêbada

É claro que tudo depende de quanto a pessoa bebeu, mas, se ela estiver manifestando reações típicas de quem ingeriu muito álcool – como choro, falas desconexas e dificuldades em andar ou se manter em pé – não é hora de investir nela (e, sim, de protegê-la e procurar ajuda). Pessoas que estão nesse estado não são capazes de consentir, e, sem consenso, é assédio!

- Ela tenta cobrir as partes íntimas

O clima esquentou e vocês foram para um lugar mais reservado, mas ela se esforça para que você não a toque em regiões íntimas. É muito provável que ela não esteja “se fazendo de difícil”, e, sim, tentando te mostrar que não está pronta para seguir em frente (ou que mudou de ideia no meio do caminho).

- Ela mal se mexe

Durante uns amassos ou uma relação sexual, não é nada natural que as pessoas fiquem completamente imóveis. Você pode não saber o motivo daquilo ou não ter prestado atenção suficiente em outros sinais, mas, se a mulher está completamente parada em uma situação, significa que não queria estar nela.

"Não" é "não" (mesmo que com outras palavras)

O que a mulher fala também deve ser ouvido com atenção. Seja para não magoar o parceiro ou evitar situações perigosas com desconhecidas, algumas mulheres preferem evitar o “não” e optam por dizer coisas que significam o mesmo. Seja ela sua namorada, uma pessoa com quem você já teve algum tipo de relação ou uma moça que você nunca viu na vida, a vontade dela deve ser respeitada mesmo que o “não” venha na forma de alguma dessas frases:

- “Estou menstruada”

Não é difícil encontrar mulheres que já disseram isso sem realmente estar naquela semana do mês simplesmente porque não estavam com vontade de fazer sexo e muito menos lidar com a insistência do parceiro (que, por si só, já é algo errado). Se ela realmente estiver, não adianta insistir: mesmo que você não se importe em transar com uma mulher menstruada, esse não é o momento para discutir a opção dela.

- “Estou cansada”

Assim como a situação anterior, ela pode nem estar cansada, apenas querendo evitar o sexo. Sendo de verdade ou uma desculpa, a insistência não é bem-vinda em nenhuma das duas situações.

- “Hoje não”

Precisa mesmo de mais explicações?

- “Não sei se quero”

Digamos que você não tenha certeza se quer ou não comer uma pizza (apesar de gostar dela). Você gostaria que alguém simplesmente pegasse um pedaço e enfiasse na sua boca? Ou ficasse te perguntando incessantemente se você já decidiu se quer ou não, insistindo para que você coma? Pois é.

- “Vamos devagar”

Se vocês estão se beijando e você sente que a coisa está esquentando, mas ela diz isso, pé no freio! Ah, e não adianta nada desacelerar o ritmo por alguns instantes e depois voltar a insistir. Contenha-se e deixe que ela decida o rumo da situação (que pode ser, inclusive, ficar só nos beijos).

Leia também: Confira 9 regras do sexo casual que todo homem deveria colocar em prática

Ficou na dúvida? Pergunte!

Muita gente acha que é “brochante” perguntar à mulher se ela está bem, confortável e gostando do que está acontecendo, mas, além de isso evitar situações desagradáveis para quem simplesmente não teve coragem de dizer “não”, é algo que grande parte delas aprecia e até considera sexy. Certamente você não quer se envolver com assédio, então, se está incerto quanto a receptividade dela, pergunte!

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.