Tamanho do texto

Um estudo indica que existe um composto químico que reduz a mobilidade do esperma sem afetar a fertilidade masculina ou causar efeitos colaterais

Ao longo da história, diversos métodos contraceptivos foram surgindo, como o calendário lunar, a camisinha e até métodos nada eficazes como o coito interrompido – retirada do pênis da vagina pouco antes da ejaculação. Porém, o que se tornou mais popular entre os casais foram as pílulas anticoncepcionais femininas, que estão no mercado há mais de 50 anos. Até então, os cientistas não conseguiram elaborar um anticoncepcional masculino eficaz, mas isso pode estar prestes a mudar.

Leia também: Contraceptivo masculino em gel: entenda como funciona

Estudo indica que existe um composto químico pode ajudar a  avançar na criação de um anticoncepcional masculino
shutterstock
Estudo indica que existe um composto químico pode ajudar a avançar na criação de um anticoncepcional masculino


De acordo com um estudo publicado na revista "Plos One", pesquisadores americanos estão desenvolvendo um  anticoncepcional masculino  que vai impedir o espermatozoide de nadar. Para conseguir tal feito, será utilizado um composto químico que torna o esperma mais lento e, portanto, menos propenso de chegar ao óvulo.

No estudo, os pesquisadores injetaram doses altas e baixas do composto em macacos machos. Após seis horas, a mobilidade do espermatozoide dos animais que receberam a dosagem alta caiu em 20%. Esse resultado, segundo Michael O'Rand, professor aposentado da Faculdade de Medicina de Chapel Hill, na Carolina do Norte, é muito significativo.

Leia também: Contraceptivo derivado de planta promete eficácia de anticoncepcionais

O professor explica que mesmo em doses baixas esse composto químico , denominado EP055, reduz a capacidade do espermatozoide se locomover e torna a concepção pouco provável. “Simplificando, o composto desliga a capacidade do espermatozoide de nadar, limitando significativamente a capacidade de fertilização”, diz Michael.

Fertilidade não é afetada

Outro resultado animador é que, 18 dias depois do tratamento, o esperma dos macacos havia recuperado a sua mobilidade normal. Os autores do estudo falam que isso indica que o efeito do EP055 é reversível e não terá nenhum impacto de longo prazo na fertilidade masculina. Porém, é importante ressaltar que o estudo foi realizado em macacos e não em humanos, então ainda é preciso realizar muitos teste para ter claro se isso vai realmente funcionar.

Mesmo assim, os pesquisadores acreditam que essa descoberta pode mudar o planejamento familiar em todo o mundo. “Este é um passo significativo no desenvolvimento de um contraceptivo farmacológico não hormonal para homens”, afirma Michael em entrevista ao site americano “Men's Health”.

Leia também: Conheça os métodos contraceptivos e escolha o melhor para sua vida

Por enquanto, o anticoncepcional masculino ainda não é uma realidade, mas os avanços científicos tem mostrado que esse contraceptivo está cada vez mais perto de se tornar realidade.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.