Tamanho do texto

A rotina é pesada e inclui ainda uso de suplementos e hormônios. Mas para quem é adepto, o bodybuilding é um estilo de vida

Quase todo mundo tem algo no corpo que não gosta ou que gostaria de mudar, e na busca incessante pelo corpo perfeito, o bodybuilding vem ganhando espaço. Considerado um estilo de vida, a prática alinha treino, alimentação e descanso e não tem como único objetivo obter um corpo musculoso e definido. Os adeptos levam uma vida regrada para conseguir as transformações desejadas no corpo de forma saudável.

Hipertrofia: veja dicas de exercícios e dieta para ganhar massa

Maurício antes e deipois de adotar ao bodybuilding
Arquivo pessoal
Maurício antes e deipois de adotar ao bodybuilding


O estudante de administração Maurício Rocha conta que começou a fazer academia aos 16 anos porque era muito magro. “Eu fui para mudar meu corpo, queria impressionar as mulheres. Mas fiz muita coisa errada, pegava muito peso, não fazia os movimentos certos e não cuidava da alimentação”, revela. Foi só depois de alguns anos que ele soube o que era o bodybuilding .

Moldando o cotidiano

Maurício explica que essa prática é um comprometimento pessoal e que é preciso alinhar o cotidiano para obter resultados , moldar o corpo e ter uma saúde melhor. “Todo bodybuilder procura uma performance e um físico mais bonito através de exercícios feitos corretamente. Não vamos a academia pra pegar peso e, sim, pra contrair o músculo da maneira correta e, dessa forma, ir evoluindo”, diz.

Rotina e descanso

A rotina do estudante é bem agitada e restrita. A alimentação conta com muita aveia, arroz, ovo e carnes magras, como frango e peixe. Para não ter descuido, todos os dias ele leva marmita para o trabalho. O treino é composto por uma hora de levantamento de pesos e 30 minutos de exercícios aeróbicos. Isso tudo ainda é conciliado com estudo e trabalho.

No final de semana, Maurício sai da rotina, mas afirma que isso também faz parte do processo. “É comum ter o ‘ dia do lixo ’ para comer o que quiser, porque o corpo fica tão acostumado com a dieta que acaba saturado, então precisa de um alimento diferente para acelerar o metabolismo”, fala o estudante. Ele completa dizendo que há três anos não consome bebida alcoólica, pois acredita que atrapalha o treino e tem reflexos negativos na saúde.

O bodybuilder ressalta que o descanso também é algo fundamental. “É necessário dormir no mínimo sete horas por dia. Mesmo com a rotina agitada, eu não deixo de cumprir esse período de descanso”, afirma.

Suplementos e hormônios

Maurício explica que suplemento é um complemento para a dieta e nem sempre é necessário utilizar. Ele, por exemplo, faz uso de alguns com diferentes funções. O estudante também revela que faz uso de hormônios. “Depois de anos vi que não estava progredindo com o treino natural, aí procurei um profissional e comecei a usar hormônios”, conta.

O estudante fala que existem hormônios que podem ser ingeridos de forma oral e injetável . “Acredito que o oral, por passar pelo fígado e estômago, é mais prejudicial, então prefiro o injetável, que cai direto na corrente sanguínea”, diz.

Maurício alerta que a utilização dessas substâncias sem uma orientação médica é extremamente perigosa e se o médico prescrever a forma injetável, a aplicação na veia deve ser feita em uma farmácia, por um profissional.

+ 8 dicas para ficar sarado sem passar horas na academia

Feliz com o corpo

Hoje, Maurício se diz contente com o corpo, mas fala que sempre busca progredir. “Não quero que os músculos cresçam mais, agora quero apenas definir mais o corpo. Pretendo continuar seguindo o bodybuilding, pois eu amo esse estilo de vida e treino porque gosto e não por obrigação”, finaliza.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.