Tamanho do texto

A carne assada na brasa é algo tão amado pelos brasileiros que no dia 30 de setembro é comemorado o dia do churrasqueiro

Encarar uma churrasqueira parece algo simples, afinal não é só acender o carvão e colocar a carne na grelha. Na verdade, não! Para fazer um churrasco  é preciso saber algumas técnicas, escolher boas carnes e fazer os cortes corretos. O churrasqueiro tem um papel tão importante que o dia 30 de setembro, por exemplo, é dedicado a ele. Mas não precisa ficar assustado, seguindo algumas dicas você vai perceber que assar uma carne pode ser algo bem prazeroso.  

Saiba como preparar um churrasco de dar água na boca
Photopin
Saiba como preparar um churrasco de dar água na boca


Para começar, você sabia que o churrasco representa a gastronomia primitiva? A prática iniciada no tempo das cavernas é relativamente fácil e bastante intuitiva, conforme conta o chef-churrasqueiro da Academia da Carne Friboi Fred Paim. “Para ser bom churrasqueiro, antes de tudo é preciso gostar de comer churrasco. Tem gente que vai para a churrasqueira tentando impressionar os outros e não para curtir. A carne precisa de sal, calor e paixão para ficar no ponto”, diz.

Fred afirma que são poucos os segredos para o preparo. “O essencial é não ter pressa e respeitar o tempo de cada etapa. Mais do que focar em acertar, o churrasqueiro iniciante deve se preocupar onde pode errar”, fala.

Saiba como não passar apuros ao fazer um churrasco
Thinkstock/Getty Images
Saiba como não passar apuros ao fazer um churrasco

Escolha a carne

Ok, até aí tudo bem, mas e na hora de comprar a carne, o que fazer? Quem responde essa questão é o especialista em marketing da divisão de Carnes da JBS, Maicon Teles. “Grandes mestres costumam dizer que não existe carne de primeira ou de segunda. O que existe é um preparo de primeira ou de segunda categoria”, afirma. “Atualmente, todo mundo encontra as carnes porcionadas já separadas por corte, com opções de tamanho e peso, com mais ou menos gordura, em diferentes graus de maturação”, conta.

Você não precisa conhecer a localização das carnes no animal. Fred fala que saber como são feitos os corte pode até render boas conversas durante o churrasco, mas não é algo essencial para ser um bom churrasqueiro.  

Forma de assar

Existem duas técnicas principais para o preparo do churrasco, uma com calor direto e outra com indireto . Fred explica que na forma mais comum, a carne recebe a energia diretamente da fonte de calor. “Fica tostada por fora e relativamente crua por dentro. Indicada para cortes de menor espessura e volume como postas de contra-filé e picanha, ou a fraldinha, que já é mais fina”, diz.  

Existem duas formas principais de assar a carne
Thinkstock/Getty Images
Existem duas formas principais de assar a carne

Já no calor indireto, a carne fica mais afastada da fonte de energia. Dessa forma, o calor penetra de forma gradual, atingindo o centro da carne enquanto a parte externa forma uma crosta que retém os sumos. “Este processo é indicado para pedaços maiores, como picanha inteira, ou cortes com mais colágeno e gordura entremeada, como short ribs (acém com osso), cupim, costela e peito”, aconselha.

Nada de eleger um “voluntário” para ficar na churrasqueira , Fred diz que isso nunca dá certo. O churrasqueiro deve sentir prazer no que faz. Para os inexperientes, a principal dica é deixar as chamas com uma boa distância, a churrasqueira pode ser descartável , mas o fogo precisa estar bem distribuído. “Uma grelha que custou caro, mas não funciona bem pode arruinar a melhor carne. Enquanto que um espeto sobre tijolos pode realizar maravilhas quando bem pilotado”, relata.

Cortes

A preferência dos brasileiros está nos cortes mais tradicionais como picanha, contra-filé e fraldinha. Segundo Maicon, são mais rápidos e fáceis de preparar e é uma escolha perfeita para os novatos. Porém aos poucos você pode ir se aperfeiçoando e saindo do convencional.

“Assim como está ocorrendo com a cerveja, onde as pessoas estão descobrindo novos sabores e padrões, os cortes do churrasco também estão evoluindo. A tendência são as carnes de preparo mais elaborado, que levam mais tempo na grelha”, expõe Maicon.

Erros comuns

Não confunda sal com sabor! O erro mais comum é exagerar na quantidade de sal. Fred conta que ao usá-lo em excesso a carne desidrata.  “Coloque pouco sal grosso enquanto assa e depois acerte com sal fino para quem curte mais salgado. Escolha o tipo certo de sal: o grosso para pedaços grandes, triturado para pedaços médios e fino para pequenos cortes ou bifes”, indica o chef-churrasqueiro.

Não confunda mal passada com carne suculenta
time out
Não confunda mal passada com carne suculenta


Outro equivoco é achar que para o churrasco é preciso ser assado a uma temperatura muito elevada. “Isso queima a carne por fora, desidrata os sumos e a deixa crua por dentro”, diz Maicon. Se a carne ficou suculenta, isso não significa que está mal passada. “O correto é grelhar no calor médio e usar os sumos da carne como referência”, completa.

Virar a carne seguidas vezes reduz tempo na grelha. Teste no churrasco

Para se aventurar na grelha não é preciso de muita coisa, basta ficar atento a essas dicas, reunir a galera, comprar o carvão e a carne e mostrar porque o churrasco é uma das paixões nacionais.

    Leia tudo sobre: receitas
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.