Tamanho do texto

Existem muitos mitos sobre as bebidas da escola cervejeira belga e alguns são verdadeiros. Confira os estilos das cervejas e as melhores combinações

Depois de passar pelas escolas cervejeiras alemã e inglesa, chegou a hora da série* fazer uma parada na Bélgica. Nessa região, um copo de cerveja é muito apreciado e não é para menos, a bebida belga conta com admiradores do mundo todo. Ficou curioso e quer saber mais detalhes? Então desvende a história e os sabores que envolvem essa escola cervejeira.

Que tal experimentar um copo de cerveja belga? Descubra as características dessa escola cervejeira
Pinterest
Que tal experimentar um copo de cerveja belga? Descubra as características dessa escola cervejeira


Os primeiros registros históricos da cervejaria belga são da época das Cruzadas, período em que os monges eram os principais produtores de cerveja da região. “Nos séculos seguintes, os belgas desenvolveram diversos estilos e técnicas diferentes, o que acabou por tornar a chamada escola do país uma das mais criativas e diversas de todas, por isso, experimentar um copo de cerveja dessa região é muito indicado”, conta o especialista em cerveja e dono Cervejaria Júpiter, David Michelsohn.

Cervejas mais apreciadas

As cervejas mais famosas são as de abadia e, dentre as variações, as trapistas. David conta que essas bebidas são produzidas em mosteiros da Ordem dos Cistercienses de Estrita Observância. “Existem diversos mitos sobre as origens destas cervejas, mas a verdade é que elas começaram a ser produzidas apenas em 1836, portanto são relativamente modernas”, fala o profissional.

Estilos

Dentre os mitos, o especialista destaca que é verdadeiro o boato que essas são cervejas deliciosas . Os estilos mais conhecidos são: Dubbel, Tripel e Quadrupel. “São cervejas potentes e complexas que fazem o bebedor querer acreditar nas imagens medievais de monges passando os dias em silêncio e fabricando cerveja”, diz.

Escola cervejeira inglesa: por que ela possui bebidas tão marcantes?

Também há cervejas que são feitas de forma mais simples, como Lagers e Pale Ales, porém David acredita que são as Lambics que chamam atenção dos apreciadores da bebida. “São cervejas ácidas, maturadas em barris de madeira por até três anos. Extremamente complexas, muitas vezes são comparadas a vinhos e foram apelidadas de ‘Borgonhas da Bélgica’ em referência à famosa região vinícola da França”, explica.

São diversos os estilos de ceveja belga que agradam pessoas do mundo todo
Divulgação
São diversos os estilos de ceveja belga que agradam pessoas do mundo todo


Variedade

Na Bélgica, são encontradas cervejas de todo tipo, feitas com os mais diversos grãos, frutas, tipos de levedura e os métodos fabris são variados. Com essa variedade, os cervejeiros foram ousando cada vez mais e criando bebidas para todos os tipos de ocasião, desde cervejas leves para o dia a dia até versões mais encorpadas e nutritivas para os dias de quaresma.

Cerveja artesanal sem glúten? Sim, isso existe e já testamos

“A escola cervejeira da Bélgica conta com cervejas complexas, que se prestam a acompanhar refeições finas, até cervejas do tipo Brut, fabricadas de modo parecido com os champanhes, ideias para dias de celebração”, completa o especialista. Viu como vale a pena experimentar pelo menos um copo de cerveja belga?

*Deu vontade de apreciar uma boa cerveja? Então fique de olho em nossa série. A próxima reportagem vai falar sobre a escola cervejeira americana.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.