Tamanho do texto

Bebida feita com "ingrediente" do órgão genital feminino instiga a população masculina para o consumo

Entre tantas cervejas no mundo, eis que surge uma novidade que divide opiniões: a cerveja feita com bactérias vaginais. É isso mesmo que você acaba de ler! 

Cerveja com bactérias vaginais, criada pela The Order of Yoni
Divulgação
Cerveja com bactérias vaginais, criada pela The Order of Yoni


Usando o que há de mais avançado na microbiologia, os criadores da bebida prepararam as bactérias do ácido láctico a partir da vagina de uma única mulher, nesse caso, a modelo tcheca Alexandra Brendlova. Os procedimentos de isolamento e preparação evitam que outras bactérias e vírus sobrevivam, proporcionando um produto final limpo e saudável. 

Esse "ingrediente especial" é combinado com água, malte, lúpulo, chips de madeira e levedura para criar a cerveja.

Ceveja Bottled Instinct, da The Order of Yoni
Divulgação
Ceveja Bottled Instinct, da The Order of Yoni


O produto final não tem gosto e nem cheiro do órgão genital feminino, mas como a própria descrição diz, é "aromatizado com instintos".

"Imagine a mulher de seus sonhos, seu objeto de desejo. Seu charme, sua sensualidade, sua paixão. Experimente o gosto dela, sentir seu cheiro, ouvir a sua voz. Imagine ela massageando-o apaixonadamente e sussurrando em seu ouvido tudo o que quer. Agora libere suas fantasias e imagine que, com uma varinha mágica, você pode fechá-la em uma garrafa de cerveja. A bebida dourada fabricada com sua atração, graça e aromatizado com instintos. Imagine a cerveja que a cada gole é um randez-vous com esta mulher quente de seus sonhos. Ela iá abraçá-lo e beijá-lo suavemente, olhando diretamente em seus olhos. Quanto você daria para essa cerveja?", diz a propaganda do produto.

A modelo tcheca Alexandra Brendlova, que cedeu as bactérias vaginais para a fabricação da cerveja Bottled Instinct
Divulgação
A modelo tcheca Alexandra Brendlova, que cedeu as bactérias vaginais para a fabricação da cerveja Bottled Instinct


E a edição Instintic é apenas o começo. A marca ainda quer desenvolver outros tipos do produto que seguem o mesmo pensamento. Entre eles estão: a  BDSM ale ale azedo feito com ameixas fumadas e bactérias lácticas vaginais de mulheres ruivas ou morenas, e a  ale Blond , feita com malte de trigo, açafrão e ouro comestível, com bactérias do ácido láctico vaginal de uma modelo ou celebridade de cabelo loiro.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.