Tamanho do texto

"Todas as inseguranças de uma vida estão ali expostas e sujeitas ao julgamento dos ‘haters’ da internet", afirma Caio Cal sobre o vídeo

A youtuber Luiza Junqueira, do canal “Tá querida”, postou recentemente um vídeo em faz um “tour pelo corpo” dela, mostrando o quão complexo é se enquadrar em determinados padrões estéticos. O projeto viralizou e muitas pessoas se identificaram e se sentiram representadas, inclusive muitos homens, como o também youtuber Caio Cal, do canal “Caio Revela”. Ele enfrentou suas inseguranças, entrou na onda e postou um vídeo falando de tudo que sempre o incomodou em seu corpo.

Leia também: "Tour pelo corpo": youtubers fazem barulho com corrente de autoaceitação

Caio Cal, do canal
Arquivo pessoal
Caio Cal, do canal "Caio Revela", fez um "tour pelo corpo" e conta os detalhes de como foi gravar o vídeo


Ao assistir o vídeo de Caio, pode parecer que foi fácil para ele fazer esse “ tour pelo corpo ”, mas na realidade foi algo bem delicado. “Honestamente, fui um pouco resistente em postar esse vídeo, pois todas as inseguranças de uma vida estão ali expostas e sujeitas ao julgamento dos ‘haters’ da internet”, conta o youtuber ao Deles.

Durante a edição, por várias vezes pensou em desistir, mas pensou bem e, ao perceber o quanto isso poderia ajudar outros homens com os mesmos complexos, decidiu seguir em frente. “Acredito muito que a #TourPeloMeuCorpo é resistência, é reconhecimento, é empatia”, afirma Caio.

Não é vergonhoso, mas empoderador

Gravar um vídeo apontando os “defeitos” que você vê em si mesmo pode soar constrangedor, porém o youtuber percebeu que isso foi empoderador. “Isso me ajudou a entender que estou numa espécie de trégua com meu corpo. Hoje, percebo o quanto meu corpo é guerreiro e o quanto sou grato por tudo que ele me proporcionou e me proporciona até hoje”, explica o rapaz.

Leia também: Mecânico crossdresser conta como é a vida de um hetero que veste como mulher

Caio teve certa resistência para postar o vídeo, mas depois que foi ao ar percebeu o quão empoderador foi
Reprodução/Youtube
Caio teve certa resistência para postar o vídeo, mas depois que foi ao ar percebeu o quão empoderador foi


Diariamente, Caio luta para manter a autoestima elevada, pois ainda não se sente satisfeito com algumas partes do corpo. “O tamanho do meu quadril/ancas sempre me deixou e ainda me deixa inseguro, mas acredito que a desconstrução leva tempo”, ressalta. “Não fico me cobrando ou exigindo qualquer coisa de mim nesse sentido. Passei 29 anos fazendo qualquer coisa para ter um corpo ‘perfeito’ e acreditava que minha vida só iria começar de verdade quando eu emagrecesse”, acrescenta.

Foi necessário bater de frente com o problema

As cobranças internas, que foram alimentadas pelos padrões externos, fizeram com que o youtuber tivesse que superar a anorexia, a bulimia e a ortorexia (obsessão para ter uma dieta perfeita). Por sorte, todos esses distúrbio são coisa do passado e emagrecer não está mais nos planos deles, pois Caio aprendeu a aceitar o corpo.

Ele não consegue dizer o que ama mais em si mesmo, pois acredita que desenvolveu outro sentimento pelo próprio corpo.  “Sinceramente, tudo que sinto hoje é carinho. Um carinho genuíno que entende os altos e baixos e, principalmente, que entende a pressão que a sociedade exerce sobre nossos corpos”, enfatiza.

Leia também: Cansado de bullying, jovem "magrelo" se torna fisiculturista de sucesso

O "tour pelo corpo" ajudou o rapaz a respeitar a aparência dele e o vídeo acabou sendo algo libertador, não só para ele, mas também para os seguidores do seu canal.  “Recebi muitas mensagens, muitos desabafos e muitos incentivos nas redes sociais. Algumas pessoas se identificaram com meus relatos e se sentiram motivadas a olhar para o próprio corpo com menos julgamentos”, conclui. Claro que também tiveram comentários negativos, mas ele diz ter relevado isso e segue de cabeça erguida.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.