Tamanho do texto

O homem que passou pela cirurgia é um soldado que sofreu um acidente na guerra; ele se recupera bem e os médicos dizem que o membro será funcional

Uma equipe de onze cirurgiões da Escola de Medicina Johns Hopkins, nos Estados Unidos, trabalhou por 14 horas para conseguir transplantar com sucesso um pênis inteiro, o escroto e partes da parede abdominal de um homem. Esse foi o transplante de pênis mais extenso já realizado, exigindo a transferência de pele, músculos, tendões, nervos, ossos e vasos sanguíneos.

Leia também: Quer aumentar o pênis? Células-tronco podem substituir cirurgia plástica

Nos EUA, aconteceu o primeiro transplante de pênis e escroto do mundo em um soldado, um avanço na medicina
Reprodução
Nos EUA, aconteceu o primeiro transplante de pênis e escroto do mundo em um soldado, um avanço na medicina


A melhor notícia é que a equipe acredita que o membro transplantado será totalmente funcional. Segundo informações do portal britânico “The Independent”, o diretor de cirurgia plástica e reconstrutiva, WP Andrew Lee, explica que o paciente deve desempenhar funções sexuais e urinárias de forma normal, isso após o período de recuperação total do transplante de pênis e escroto.

Os testículos não foram transplantados devido a questões éticas e, consequentemente, ele ficará estéril. O homem pioneiro a passar por esse completo transplante é um soldado veterano que teve a região íntima gravemente ferida em uma explosão enquanto estava na guerra do Afeganistão. Ele está se recuperando bem e logo receberá alta, mas prefere não falar publicamente sobre o assunto e, antes da cirurgia, pediu para manter sua identidade em anonimato.

Leia também: Clarear o pênis é nova tendência estética; saiba detalhes da técnica

"É uma lesão esmagadora que faz você sofrer, não é fácil de aceitar", afirma o soldado, de acordo com um comunicado oficial divulgado a imprensa pela Johns Hopkins. "Quando acordei pela primeira vez, me senti finalmente mais normal e com um nível mais alto de confiança também. Agora finalmente estou me sentindo bem."

Transplante ou reconstrução do pênis? 

Se o americano não tivesse feito o transplante, outra solução seria a reconstrução do pênis , mas isso limitaria o funcionamento sexual dele. Para conseguir uma ereção sem um transplante, seria preciso usar uma prótese, mas isso aumentaria o risco de infecção.

A cirurgia foi longa e contou com a participação de vários médicos, o paciente se recupera bem e se mantém anônimo
shutterstock
A cirurgia foi longa e contou com a participação de vários médicos, o paciente se recupera bem e se mantém anônimo


"Nossa esperança é que esse transplante de mudança de vida permita que [o paciente] recupere a função urinária e sexual e leve uma vida normal", afirma Richard Redett, professor associado de cirurgia plástica e reconstrutiva da Escola de Medicina Johns Hopkins.

Leia também: Pênis ereto ao acordar é normal? Desvende os mistérios envolvendo a ereção

Além de perder o membro inferior, ele sofreu outras lesões na região genital. De acordo com um estudo feito pelo Journal of Urology, durante a Guerra do Iraque, por exemplo, um número alto de soldados sofreu ferimentos genitais por causa de bombas, e o que chama atenção no relatório é que essas lesões são tão devastadoras que as vítimas, principalmente os jovens, passam a cogitar cometer suicídio – algo que mostra a importância do transplante de pênis .

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.