Tamanho do texto

Estudo realizado por cientistas da Universidade de Pádua concluiu que "o pênis pode ficar até 1,27 cm menor por causa de produtos químicos"

Um estudo conduzido por cientistas da Universidade de Pádua, na Itália, concluiu que os produtos químicos emitidos por frigideiras antiaderentes e outros produtos, os PFCs (sigla em inglês para compostos perfluorados), podem impactar o crescimento do pênis , deixando-o significantemente menor e mais fino.

Alguns poluentes podem ser a causa de o seu pênis ser menor do que a média, de acordo com estudo italiano
shutterstock
Alguns poluentes podem ser a causa de o seu pênis ser menor do que a média, de acordo com estudo italiano

A pesquisa para descobrir os efeitos desses poluentes sobre o pênis , liderada pelo médico doutor Andrea Di Nisio, contou com a participação de 383 jovens com idade próxima aos 18 anos, sendo 212 deles residentes de uma região altamente exposta aos PFCs, e 171 deles de outro lugar, com menos influência dessas substâncias.

Ela foi realizada na região do Vêneto, onde fica Pádua, que de acordo com o Daily Mail , é uma das quatro zonas no mundo com a maior concentração desse tipo de poluente, que era utilizado até 2013 na produção de Teflon.

Foi determinado que a exposição aos PFC s, seja ainda no útero ou já durante a infância e a adolescência, pode deixar o órgão sexual masculino até 12,5% mais curto, e 6,3% mais fino que o de homens saudáveis.

Em centímetros, as medidas do órgão flácido de homens altamente expostos a esses produtos químicos era, em média, de 8,75 cm. Nas regiões em que havia menos poluição, ela aumentava para 10 cm.

Como os PFCs afetam o pênis

O pênis pode ser 12,5% menor quando houver exposição aos PFCs durante a gestação da mãe ou na adolescência
shutterstock
O pênis pode ser 12,5% menor quando houver exposição aos PFCs durante a gestação da mãe ou na adolescência

Isso acontece porque, como apontado pelo estudo, as moléculas de PFCs se "grudam" às de testosterona, o hormônio sexual masculino, reduzindo o nível dele no sangue.

Ao Daily Mail , os pesquisadores declararam que a magnitude do problema é alarmante, já que os primeiros estudos denunciando os PFCs foram em 1977 - ou seja, gerações inteiras continuaram a ser afetadas pelos problemas causados por esses poluentes desde o fim dos anos 1970.

Leia também: Ereção, tamanho, formato, disfunções: entenda tudo sobre seu pênis

Dentre outras consequências de tal contaminação estão redução na saúde e na mobilidade do esperma e uma distância menor entre o escroto e o ânus, que indica menor fertilidade.

Quando a contaminação ocorre ainda no útero, segundo o Daily Mail , ela leva a um nível maior de hormônios femininos na vida adulta - e portanto, a uma redução da genitália. Caso ela ocorra durante a adolescência, pode influenciar as mudanças na produção hormonal que ocorre durante esta fase.

Onde esses poluentes podem ser encontrados

Frigideiras com Teflon estão entre os inúmeros itens que contém PFCs - e que podem estar comprometendo seu pênis
Getty Images
Frigideiras com Teflon estão entre os inúmeros itens que contém PFCs - e que podem estar comprometendo seu pênis

Boa parte dos produtos industrializados contém PFCs, e eles vão de frigideiras com teflon a embalagens de fast food, passando por pratos de papel, roupa à prova d'água e até mesmo cosméticos, colas e remédios. A contaminação pode se dar tanto através da ingestão de água e alimentos como pelas vias respiratórias.

Apesar dos mais de 40 anos dedicados ao estudo desses poluentes, os efeitos potencialmente cancerígenos estão apenas começando a serem compreendidos pela comunidade científica, segundo o Daily Mail .

Leia também: Tamanho do pênis é documento? Saiba a resposta e como isso afeta a vida sexual

Portanto, os PFCs não só afetam o pênis , como também trazem uma série de outras consequências à saúde, que ainda estão em fase de estudo e compreensão ao redor do mundo - e que, segundo o Daily Mail  , levaram a substância a ser considerada um perigo em lugares como Dordrecht, na Holanda, Shandong na China e a Virgínia Ocidental, nos EUA.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.