Tamanho do texto

Médico explica como funciona a cirurgia e quais cuidados o paciente deve tomar após o implante. Veja também como um robô pode facilitar o processo

O cabelo está caindo (ou já caiu) e bateu o desespero? Ou simplesmente sonha em ter barba ou uma sobrancelha sem falhas? Saiba que esses problemas têm solução. O implante capilar faz uso dos próprios fios de cabelo da pessoa - ou de pelos de outras partes do corpo - para preencher partes calvas e o rosto. É uma cirurgia longa e minuciosa, mas oferece baixo risco para o paciente. Descubra como essa técnica é feita, tanto a manual quanto a robótica.

Para realizar o implante capilar é usado fios do próprio corpo
Pinterest
Para realizar o implante capilar é usado fios do próprio corpo


Um dos pioneiros a trazer a técnica fio a fio para o Brasil é o médico Thiago Bianco. Ele explica que para o implante capilar , os fios são retirados de uma região doadora, normalmente a nuca, e transplantados para as áreas de calvície ou do rosto. “A grande diferença entre o transplante capilar e o transplante de barba é a quantidade de fios", diz Thiago, que detalha que no caso da barba é transplantado um de cada vez, e no transplante capilar são conjuntos compostos de um a quatro fios. 

Tempo de duração

O médico conta que, em geral, a cirurgia para os cabelos dura de sete a oitos horas, já a de barba dura um pouco mais, dependendo da área transplantada. Os pacientes não precisam ficar internados e são liberados no mesmo dia. “Nos casos de pacientes que não têm barba nenhuma e queiram fazer uma reconstrução total de bigode, cavanhaque e barba, a cirurgia pode chegar a até dez horas, mas ambos os procedimentos são feitos sob anestesia local, com baixo nível de desconforto e dor”, esclarece.

Cuidados no pré e pós-operatório

Thiago fala que são poucos os cuidados recomendados . Na véspera da cirurgia e nos dois dias seguintes do procedimento, o paciente deve usar um sabonete líquido bactericida. Depois, é recomendado utilizar xampu de bebê, pois são mais neutros que os de adulto. Após 15 dias, o paciente já pode voltar a usar o xampu que estava acostumado.

“Recomendo o uso de um produto com pH mais neutro, até como um cuidado geral para o cabelo, independente do transplante ou não. O paciente (pós-implante) deve tomar cuidado com a exposição solar para evitar marcas na área transplantada, tanto no rosto quanto no couro cabeludo”, afirma o médico.

O especialista também alerta que é preciso ficar pelo menos um mês afastado de atividades físicas exaustivas, mas as atividades aeróbicas são liberadas a partir do sexto dia. No caso de transplante de barba , o barbeador elétrico pode ser usado após 15 dias e a lâmina depois de um mês.

Retirar o implante

No caso de arrependimento é possível retirar o implante, mas é preciso cuidado. Para retirar a barba é simples, basta passar a lâmina de barbear para manter o rosto liso. Já no caso capilar, o processo é mais difícil, então é preciso da orientação de um profissional.

“Acontece muitas vezes de o paciente já ter passado por um transplante mal sucedido, antigo, ou com uma técnica ruim. Nesses casos, precisamos remover os tufos e refazer toda aquela área da calvície com as técnicas mais avançadas para tentar camuflar o transplante anterior”, alerta Thiago.

+ Cabelo branco é pesadelo que pode ser evitado ou controlado; saiba como

Tecnologia robótica

Para ajudar no processo, em 2011, foi criado nos Estados Unidos o robô Artas , que utiliza a tecnologia de míssil russo para localizar e extrair de melhor forma os folículos. A tecnologia tem como objetivo agilizar e aperfeiçoar o processo de implante. A utilização do robô no Brasil foi liberada em 2015 pela Anvisa, e o tratamento está disponível no Centro de Medicina Capilar (CMC).

Robô foi criado nos Estados Unidos para agilizar a cirurgia
Reprodução/Centro de Medicina Capilar
Robô foi criado nos Estados Unidos para agilizar a cirurgia


Com a tecnologia, é possível reduzir o tempo da cirurgia de implante capilar para 4 horas, diferente da técnica fio a fio que dura mais de 7 horas. “A extração é mais precisa, pois utiliza um algoritmo de inteligência artificial. A cirurgia é indolor, com anestesia local, sem pontos e a cicatrização ocorre naturalmente em três dias”, detalha Gustavo Sartorato, médico pesquisador sobre queda de cabelo, fundador do CMC.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.