Tamanho do texto

Falar sobre medos, aflições e desejos é algo complicado para muitos caras, por isso é preciso saber identificar as crises e saber como superá-las

Ainda nos dias de hoje, há quem pense que os homens só sabem conversar sobre futebol, mulher, carro e bebida.  Apesar de esses assuntos serem corriqueiros, medos, aflições, desejos e sonhos existem e, em alguns momentos, também acabam sendo discutidos. É preciso admitir que os marmanjos também entram em crise e, além disso, é importante identificá-la e saber como superar o problema.

Leia também: Veja como os problemas financeiros podem afetar a saúde mental

Saiba quais são os problemas mais comuns do universo masculino e como superar uma crise
Shutterstock
Saiba quais são os problemas mais comuns do universo masculino e como superar uma crise


O site “Papo de Homem” é um projeto que surgiu como um espaço online para os caras conversarem e pedirem conselhos sobre questões que os atormentam. No período de dez anos desde que foi criado, o número de homens que fizeram contato foi aumentando, os homens foram mandando cada vez mais e-mails expondo o período de crise que estavam enfrentando, inúmeros eventos e encontros foram organizados e a partir dessa troca experiências foram identificadas as 25 crises mais comuns do universo masculino.

“Recebemos diversos e-mails sobre relacionamentos. Acho que, de longe, isso é o que mais aflige os homens. Tentamos ajudar, sim, mas hoje o volume de mensagens é bem grande, não conseguimos responder todas. Esse, aliás, é um dos motivos pelos quais optamos em organizar essas respostas em e-book chamado ‘As 25 maiores crises do homem (e como superá-las)’”, conta Luciano Andolini, editor e um dos um dos escritores livro.

25 crises masculinas

O e-book é um projeto colaborativo com texto de nove autores e fala sobre os principais problemas que atormentam um homem. Está curioso para saber quais são? Então veja a lista e identifique se algum item faz parte de sua realidade:

1.       "Fui traído"

2.       "Traí minha parceira e me sinto culpado"

3.       "Tenho medo de me aproximar de mulheres"

4.       "Estou me divorciando"

5.       "Não consigo esquecer minha ex"

6.       "Tenho pinto pequeno"

7.       "Tenho ejaculação precoce"

8.       "Sou virgem"

9.       "Estou ficando brocha"

10.   "Não sei fazer minha namorada gozar (sou ruim de cama)"

11.   "Vou ter um filho não planejado"

12.   "Não tenho amigos"

13.   "Sou tímido"

14.   "Sou feio"

Alguns questionamentos podem desencadear vários problemas emocionais e sociais
shutterstock
Alguns questionamentos podem desencadear vários problemas emocionais e sociais


15.   "Estou ficando velho (crise de meia idade)"

16.   "Será que sou gay?"

17.   "Não sou heterossexual e sofro preconceito"

18.   "Meus pais morreram"

19.   "Não consigo largar o vício (álcool, pornografia, games)"

20.   "Odeio meu trabalho"

21.   "Perdi o emprego"

22.   "Estou endividado"

23.   "Não consigo me dedicar a nada"

24.   "Não consigo parar de procrastinar"

25.   "Não estou satisfeito com o meu corpo (quero emagrecer ou ganhar massa muscular)"

Identificando o problema

Todas as questões podem ser tornar problemáticas por diversos motivos e acabam envolvendo fatores externos e internos. Como exemplo, Luciano coloca que um problema financeiro pode impactar a liberdade de ir e vir limitando o homem, afetando a autoestima e fazendo com que o cara se sinta amarrado e preso àquela situação.

Por outro lado, há homens que podem se abalar de forma mais profunda com essa mesma questão e entrar em depressão, ter picos de estresse, estragar relacionamentos por ter fácil acesso a raiva e por falar coisas sem pensar, entre outras coisas. Ou seja, um problema pode desencadear vários outros.

Para o editor do livro, esse padrão se repete porque independente do problema, o que causa o sofrimento é justamente não saber o que fazer e como lidar com a situação. Isso leva a certo desespero que resulta em danos reais que influenciam na vida pessoal, profissional e nos demais tipos de relacionamentos.

Quando se passa por uma crise, há diversos desgastes físicos e emocionais
shutterstock
Quando se passa por uma crise, há diversos desgastes físicos e emocionais


“Toda crise vai ter esse desgaste prático. Você vai precisar agir para estancar o problema. Mas acho que isso é o de menos quando se está bem, estável. Quando você perde essa estabilidade, o perigo de piorar o que já é ruim aumenta e aí as chances de atrapalhar a vida se tornam maiores”, enfatiza Luciano.

Evitando as dificuldades

Bom, você não prevê descobrir uma traição, ser demitido, perder uma pessoa importante e diversos outros fatos. Muitas coisas acontecem quando menos se espera, então o ideal é não se culpar por isso, já que você não pode impedir muitos desse cenário. Porém, há algumas situações – como pedir o divórcio – em que é possível, sim, se preparar para os futuros danos.

Leia também: Tem solução? Dificuldades de ereção está entre as queixas sexuais mais comuns

“Reconheço a importância de, por exemplo, saber como lidar juridicamente com um divórcio. Isso sem dúvidas torna mais fácil passar pelo processo. Por outro lado, acreditamos que mais importante do que evitar que isso aconteça, é estar preparado para quando acontecer”, fala o escritor.

Lidando com uma crise

O principal conselho para lidar com um dos problemas é desenvolver três pontos: estabilidade, sabedoria e compaixão. Luciano diz que treinando esses pontos você diminui o impacto causado quando os problemas cotidianos aparecem e a situação não tira você do eixo, pois se você estiver estabilizado a confiança será mais ampla.

“Também recomendo aprender a lidar com as situações de maneira pontual. Conhecer minimamente como funcionam os mecanismos das relações, do dinheiro, do trabalho, do corpo, das emoções, e assim por diante”, indica Luciano.

Vale ressaltar que uma ajuda profissional para lidar com as frustrações da vida é sempre muito bem-vinda. O problema é que os homens são mais resistentes a procurar ajuda e geralmente quando acham que estão bem automaticamente interrompem o tratamento largando a terapia.

via GIPHY


Outra dica é fortalecer os laços sociais. “Cultive relações de parceria. Não só relações de amizade e companheiros pra se divertir e jogar bola, mas também tenha parceiros que vão olhar e cuidar de você, pessoas com quem você possa se abrir, falar sobre o que está acontecendo de verdade, e não se esconder atrás da imagem de um vencedor ou de ‘homão da porra’”, expõe o escritor.

Claro que não é fácil falar dos problemas para os outros, já que o medo dos julgamentos é sempre grande. O segredo é fazer uma troca e aprender a ouvir o outro. Dessa forma você também se sentirá à vontade em falar sobre as coisas que te afligem.

Quebrando barreiras

Ainda existe uma resistência dos homens em admitirem que precisam de algum tipo ajuda, mas a boa notícia é que isso aos poucos está mudando. A ideia de que o homem deve passar a imagem do durão sem sentimentos que resolve os problemas na base da força e da grosseira está ultrapassada, mesmo com tantos preconceitos sociais atrapalhando essa evolução.

A maioria desses preconceitos gira em torno de características que são associadas a imagem da mulher.  “O feminino é considerado sinônimo de ‘ruim’. Então, qualidades como acolher, ser capaz de falar, de se abrir sobre suas emoções, de cuidar da família, de exercer afeto, são relegadas a segundo plano, quase como se fossem um desperdício da sua masculinidade. Porém, elas estão fazendo falta [para os homens]”, relata Luciano.

Leia também: 30% dos homens está insatisfeito com o tamanho do pênis; saiba o motivo

É fundamental não reprimir aspectos e características tão humanos quanto esses. Identifique por qual crise você está passando e não tenha receio de procurar ajuda. Vale mais a pena resolver os problemas de forma plena do que ter que aprender a conviver com o peso das frustrações, pense nisso!

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.