Tamanho do texto

José Francisco ficou viúvo após 35 anos casado e encontrou um novo amor online; pesquisa mostra que a popularização desses apps tem aumentado

Depois de 35 anos de casado, o corretor de seguros José Francisco Pereira Faria, de 57 anos, ficou viúvo e por três anos permaneceu sozinho. Ao sentir que já era hora de dar uma nova chance para o amor, ele chegou à conclusão de que a maneira mais prática de conhecer novas pessoas seria através de um aplicativo de relacionamento focado em pessoas com mais de 50 anos.

Leia também: App de relacionamento cristão: "Demorei um pouco para aceitar a ideia"

José Francisco Pereira Faria e Janete Soares se conheceram em um aplicativo de relacionamento para pessoas mais velhas
Arquivo pessoal
José Francisco Pereira Faria e Janete Soares se conheceram em um aplicativo de relacionamento para pessoas mais velhas


“Certo dia comecei a receber e-mails do ParPerfeito. Após uma semana recebendo essas mensagens, pensei: ‘Por que não?’. Então decidi me cadastrar no OurTime. Recebi muitas mensagens, mas fui muito seletivo na escolha”, conta José que não buscava ter várias contatinhos, mas, sim, conhecer alguém especial no aplicativo de relacionamento .

Por meio da plataforma, o corretor de seguros conheceu a massoterapeuta Janete Soares, de 41 anos, que estava há seis anos separada. “No primeiro momento, a iniciativa partiu dela, com uma mensagem sem muita profundidade. Mas até hoje não sei explicar especificamente o que nos aproximou. Digo sempre que o universo mexeu as peças para nos aproximar”, afirma José.

O papo com Janete começou a fluir e o corretor de seguros define essa experiência como fantástica. “Desde as primeiras conversas por telefone, eu já sabia que havia algo especial nela. Quando a vi pessoalmente pela primeira vez, o coração quase saltou pela boca. Na minha concepção, foi amor à primeira vista. Ela tem um sorriso encantador e isso me cativou logo de cara.”

O primeiro passo do casal foi no aplicativo de relacionamento, depois eles se conheceram e já estão juntos a mais de um ano
Arquivo pessoal
O primeiro passo do casal foi no aplicativo de relacionamento, depois eles se conheceram e já estão juntos a mais de um ano


O casal, que vive no Rio Grande do Sul, engatou um namoro e já está junto há um ano e cinco meses juntos. “Nosso relacionamento é ótimo. Estamos nos conhecendo dia a dia. Já tivemos nossos altos e baixos, mas amadurecemos e fortalecemos a cada dia esse amor que sentimos um pelo outro”, garante José. “O aplicativo facilitou muito nossa aproximação. A tecnologia facilita isso, mas esse é só um passo porque você realmente passa a conhecer a pessoa no convívio diário.”

O interessante é que a forma como José encontrou a nova parceira está se popularizando entre os cinquentões. Segundo uma pesquisa feita pelo aplicativo OurTime, que faz parte do grupo do Match Group LatAm, com exclusividade para o iG,  97% dos homens e 77% das mulheres  com mais de 50 anos acreditam que um aplicativo de relacionamento pode, sim, ajudar pessoas mais velhas a encontrar um novo amor.

Leia também: Está solteiro? Veja 7 apps de relacionamento que podem mudar isso

A maioria dos homens (65%) e também das mulheres (78%) usa esse tipo de aplicativo de relacionamento no próprio smartphone e grande parte dos entrevistados – 76% dos homens e 66% das mulheres – decidiu sozinho que tentaria se relacionar online.

“É fato é que para ambos os sexos a tecnologia trouxe uma mudança na forma de se relacionar e a maioria considera que o uso dos sites e aplicativos de relacionamentos facilitou o processo de conhecer novas pessoas”, explica Marina Simas, consultora de relacionamento do ParPerfeito e do OurTime. Confira os dados completos da pesquisa


Para a especialista, as pessoas estão buscando atualmente relacionamentos que tragam satisfação independentemente da idade. “Quando a relação afetiva e sexual não funciona, o casal se separa e ambos vão conhecer novas pessoas e buscar novas possibilidades, pois como sempre digo: não existe idade para construir uma história de amor.”

Outro fator importante ressaltado por Marina é que, agora, a população tem um fácil acesso a smartphones e a internet e, como as pessoas estão cada vez mais conectadas, muitas passaram a enxergar a tecnologia como uma forma de conhecer novas pessoas, por isso, sites e aplicativo de relacionamento se tornaram tão populares.

Segundo a pesquisa, 34% dos homens usam esses aplicativos de duas a três vezes por semana, 28% todos os dias, 24% raramente e 14% uma vez por semana. Já entre as mulheres, a frequência muda, sendo que 53% usam todos os dias, 35% raramente, 8% de duas a três vezes por semana e 4% uma vez por semana.  

De acordo com Marina, os aplicativos ajudam pela forma como funcionam. “Após preencher os dados sobre como gostaria que seu pretendente fosse, existe um cruzamento dos dados para buscar os perfis das pessoas cadastradas que correspondam ao perfil descrito e desejado pelo usuário. Como há um enorme número de pessoas cadastradas, é possível conseguir uma resposta mais próxima do perfil desejado.”

Aplicativo de relacionamento segmentado

José Francisco e Janete Soares escolheram um  aplicativo de relacionamento segmentado e conseguiram encontrar o amor
Arquivo pessoal
José Francisco e Janete Soares escolheram um aplicativo de relacionamento segmentado e conseguiram encontrar o amor


Ao optar por um aplicativo mais segmentado, como o que é voltado para uma determinada faixa etária, esses cruzamentos de dados são ainda mais precisos e ajudam aqueles que não se sentem à vontade em sair sozinho para conhecer novas pessoas. “Pessoas com mais de 50 anos costumam buscar companheirismo, cumplicidade, valores semelhantes e alguém para continuar construindo a vida e dividir histórias futuras”, diz a consultora de relacionamento.

Com a idade, as pessoas também vão ganhando experiência e mesmo que os aplicativos de relacionamento sejam algo novo para muitos, essa maturidade tende a funcionar como um facilitador, pois se trata de uma relação entre pessoas que já viveram outras experiências. “Além da maturidade, buscar bons relacionamentos e ter boa autoestima também favorece na coragem e na segurança para encarar um primeiro encontro”, fala Marina.

Como se sentir mais seguro nos aplicativos e encontros

Ao conversar em um aplicativo de relacionamento, é indicado conversar por telefone e fazer chamada de vídeo
shutterstock
Ao conversar em um aplicativo de relacionamento, é indicado conversar por telefone e fazer chamada de vídeo


Para tentar conhecer melhor quem está do outro lado da tela, os usuários de aplicativos usam algumas técnicas. Conversar um pouco por telefone, por exemplo, é algo que 41% dos homens costumam fazer e 35% só parte para um encontro depois de conversar muito online. Outra forma de sentir mais confiança, para 24% dos homens, é analisar as redes sociais da pretendente. Com as mulheres, 43% quererem conversar por telefone, 38% analisam as redes sociais e 19% só marcam o encontro depois de muita conversa.

“Com os dados é possível perceber que as mulheres pesquisam mais informações sobre as pessoas nas redes sociais e depois de conversar bastante marcam um encontro. Já os homens, depois de muito papo, marcam um encontro sem ter pesquisado tanto sobre a pretendente. Isso mostra que a mulher precisa de mais segurança e certeza para encontrar pessoalmente”, explica a consultora de relacionamento.

Leia também: 7 coisas que você deve evitar em uma plataforma de relacionamento 

Um aplicativo de relacionamento pode ser um facilitador para encontrar um amor, mas Marina lembra que é sempre bom ter cuidado quando se conhecer alguém online (independente da idade) e que o contato telefónico, uma chamada de vídeo e um primeiro encontro em um local público são atitudes que podem ajudar a trazer mais segurança.

    Leia tudo sobre: aplicativo amor
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.