Tamanho do texto

"Isso gerou uma comoção e uma cumplicidade durante todo tempo que eu fiquei fazendo a quimioterapia. As pessoas começaram a fazer exercícios por mim e dividiam isso comigo pelas redes sociais", conta Vinícius Zimbrão

Há alguns anos, o atleta Vinícius Zimbrão, de 44 anos, começou a sentir dores e inchaço no testículo, mas não deu muita importância. Incentivado pela namorada, ele foi ao urologista e descobriu um câncer. Assim como Zimbrão, muitos homens ignoram os sinais do corpo e por descuido e até mesmo preconceito eles deixam de ir ao médico. Para tentar mudar isso, o Novembro Azul busca trazer uma conscientização que deveria durar o ano todo.

Leia também: Exame de toque é coisa de homem! Aposentado supera câncer de próstata

Zimbrão conseguiu superar um câncer e, atualmente, apoia o Novembro Azul incentivando os homens a cuidarem da saúde
Arquivo pessoal
Zimbrão conseguiu superar um câncer e, atualmente, apoia o Novembro Azul incentivando os homens a cuidarem da saúde


“Existe, sim, um preconceito sobre o cuidado com a saúde masculina. Em geral, os homens só vão ao médico quando sentem literalmente algum problema, o que não é o ideal. Prevenir sempre é o caminho mais fácil”, alerta o oncologista clínico pelo Instituto Nacional de Câncer (INCa) Felipe Ades, que acrescenta que o Novembro Azul é um mês importante para falar da saúde do homem e não apenas do câncer de próstata.

Zimbrão, que é praticante de corridas de aventura e ciclismo,  conta ao Deles que com ele foi tudo muito rápido. Após ser examinado em uma segunda-feira – que ele lembra com detalhes, inclusive a data: 29 de setembro de 2014 – o atleta ficou sabendo que seria operado dois dias depois, em uma quarta-feira. “O doutor Henrique Rodrigues foi crucial nesse processo e sou muito grato a ele até hoje.”

Depois da cirurgia, ele começou a quimioterapia, no dia 20 de outubro do mesmo ano, com acompanhamento de outro médico, o oncologista Daniel Herchenhorn, que acabou se tornando um grande amigo do atleta . Foram 21 sessões de quimioa de aproximadamente cinco horas de duração, um tratamento que, segundo relata Zimbrão, é bem pesado e cansativo.

Após o
Reprodução/Instagram
Após o "Desafio do Zimbrão", ele resolveu se engajar no Novembro Azul e criou a hastag "viverinspiraacura"

No primeiro dia em que foi fazer a quimioterapia, o atleta postou uma foto nas redes sociais dizendo que começaria o tratamento, mas que na verdade gostaria de estar treinando. De forma despretensiosa, Zimbrão decidiu pedir para as pessoas se exercitarem por ele por pelo menos 30 minutos diários, e isso deu certo.

“Isso gerou uma comoção e uma cumplicidade durante todo tempo que eu fiquei fazendo a quimio. As pessoas começaram a fazer exercícios por mim e dividiam isso comigo pelas redes sociais. Ao final do tratamento, aconteceu o ‘Desafio do Zimbrão’ na Mesa do Imperador [no Rio de Janeiro], um evento que reuniu cerca de 200 pessoas, caminhando, correndo ou pedalando até o alto da montanha”, conta com orgulho.

Vinícius Zimbrão acredita que a saúde do homem não deve ser assunto apenas no Novembro Azul
Arquivo pessoal/Raphael Duarte
Vinícius Zimbrão acredita que a saúde do homem não deve ser assunto apenas no Novembro Azul

Todo esse carinho que recebeu de familiares, amigos e seguidores foi fundamental para ele não desistir.

“Sou grato por tudo que me aconteceu, às vezes, precisamos passar por momentos difíceis para valorizarmos as coisas boas ao nosso redor”, afirma o atleta, que se tornou uma pessoa engajada na luta pela prevenção e pelo diagnostico precoce, além de incentivar as pessoas a manterem hábitos saudáveis – exercício físico e alimentação regrada – durante o tratamento de um câncer.

“Lancei um lema que uso como hastag: a #viverinspiraacura. Acredito que quando uma pessoa quer realmente viver, ele busca a cura dentro dela, não na ciência ou em números", fala Zimbrão.

"E se ela não se curar, pelo menos vai ter qualidade de vida e viver intensamente cada minuto que estiver nessa vida”, completa o atleta que ajuda a promover o Novembro Azul.

Como um homem que sempre praticou atividade física regularmente, Zimbrão acredita, que por ser um atleta, ele tem menos chances de desenvolver diversas doenças e, se caso desenvolver alguma, o seu condicionamento físico pode ajudar a passar por ela com mais facilidade. Mesmo tendo essa opinião, ele garante que não deixa de fazer os exames necessários regularmente.

Leia também: Sexo anal influencia? Desvende os mitos e verdades sobre o câncer de próstata

“Faço exames anuais para acompanhar minha saúde como um todo, pois tenho doença renal policística. Eu não parei de praticar esportes nem durante o tratamento, então, hoje, eu continuo, só que com um olhar mais focado na qualidade de vida do que na alta performance”, conclui Zimbrão.

Novembro Azul alerta sobre cuidados necessários

O Novembro Azul é um período em que a saúde do homem como um todo deve ser o foco e não apenas o câncer
shutterstock
O Novembro Azul é um período em que a saúde do homem como um todo deve ser o foco e não apenas o câncer


O médico Felipe Ades, que atua nos hospitais Oswaldo Cruz e Centro Paulista de Oncologia, ressalta que o Novembro Azul é um mês importante para tentar conscientizar os homens resistentes a ir ao médico, pois qualquer um está suscetível a doenças como o câncer.

“O Novembro Azul costuma ser muito relacionado ao tratamento do câncer de próstata , mas na realidade este é um mês para que os homens saibam que precisam tomar conta da sua saúde como um todo”, diz o oncologista.

Segundo o especialista, todos os homens devem checar os níveis de pressão, colesterol e glicose anualmente. Quanto aos exames de rastreamento de câncer, Ades diz que os homens, assim como as mulheres, devem fazer uma colonoscopia a cada cinco ou no máximo 10 anos a partir dos 45 anos e o exame de pele é importante ser realizado nesse mesmo período – principalmente para pessoas de pele clara.

O Novembro Azul incentiva os homens a fazerem como Zimbrão, procurar um médico regularmente
Arquivo pessoal
O Novembro Azul incentiva os homens a fazerem como Zimbrão, procurar um médico regularmente

“Quanto ao exame de rastreamento do câncer de próstata ainda há controvérsia. A maioria das sociedades médicas recomenda que os exames sejam oferecidos e os riscos e benefícios discutidos com cada homem. A decisão sobre rastrear deve ser individualizada", afirma Ades.

"Homens com histórico familiar de câncer de próstata ou com mutações conhecidas, como a do BRCA, que aumentam o risco de desenvolver câncer, devem ser aconselhados a fazer o rastreamento”, explica o oncologista.

Ainda de acordo com ele, as recomendações da Sociedade Americana de Oncologia e Urologia é de que o rastreamento seja feito com a dosagem de PSA (Antígeno Prostático Específico) no sangue a cada dois ou no máximo quatro anos, com ou sem o exame digital da próstata, sendo que geralmente é paciente que escolher se quer fazer ou não esse exame.

Caso o homem receba um diagnóstico positivo, é preciso ter calma e seguir as recomendações médicas. “Qualquer diagnóstico médico deve ser seguido de uma conversa sobre os tratamentos possíveis, seus efeitos colaterais e objetivos esperados. Informação é o mais importante neste momento”, afirma o médico.

Leita também: O que os homens têm a aprender com o Novembro Azul? Confira 

É preciso ter claro que os exames de rotina são importantes porque algumas doenças são silenciosas e o descobrimento precoce pode ser fundamental para a melhora do paciente.

“Qualquer doença em estágio inicial tem maior chance de cura e, em geral, os tratamentos são mais fáceis e com menos efeitos colaterais nessa fase”, finaliza Ades, mais um apoiador do Novembro Azul .

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.